Zumbido no ouvido: Causas, Sintomas, Tratamento

No Brasil, cerca de 28 milhões de pessoas têm zumbido. Você é uma delas?

O que é o zumbido?

O zumbido é um som que algumas pessoas escutam no ouvido ou na cabeça, mesmo quando não há nenhum ruído no ambiente. Pode parecer um apito, chiado, cachoeira, cigarra, etc. Ele não é uma doença única, mas sim um sintoma provocado por diferentes doenças. Algumas pessoas ouvem o zumbido somente no silêncio ou quando prestam atenção em seus ouvidos; outras o ouvem o dia todo.

É comum ter zumbido?

Sim. Cerca de 17% das pessoas têm zumbido, o que representa mais do que asma, gota, cegueira ou Alzheimer, por exemplo. No Brasil, isto quer dizer que mais de 28 milhões de pessoas têm zumbido!

Como se sente uma pessoa com zumbido?

No início, muitas pessoas ficam preocupadas ou assustadas, principalmente se nunca ouviram falar disso. Imagine quando a pessoa tem que explicar que está ouvindo algo que ninguém mais ouve… É natural ter preocupações como “será que outras pessoas também sofrem disto?”, “será que isso vai desaparecer?”, “e se ele piorar?”, “será que vou ficar surdo?”. Por isso, procurar informações corretas e atualizadas sobre o zumbido com seu médico pode ajudar muito a entender o problema!

O que pode causar o zumbido?

Na maioria das vezes, o zumbido significa que a via auditiva está funcionando em ritmo acelerado por causa de alguma perda auditiva (mesmo que pequena!). Varias causas de zumbido já são conhecidas: algumas são fáceis de identificar e tratar, principalmente o abuso de cafeína, de doces e alimentos gordurosos. Outras causas comuns são a exposição a sons altos, otites, labirintites, envelhecimento, diabetes, pressão alta, doenças do coração, da tireóide, etc. Problemas emocionais também podem causar zumbido. Portanto, uma única pessoa pode ter mais de uma causa para o zumbido!

O que devo fazer se tenho zumbido?

Procure seu médico otorrinolaringologista de confiança: ele saberá lhe orientar adequadamente. O importante é procurar a(s) causa(s) que podem estar afetando o seu ouvido. Por exemplo: uma senhora de 70 anos pode ter zumbido pela somatória da idade, do diabetes, da pressão alta, da pressão alta, do abuso de cafeína e da depressão. Por outro lado, um jovem de 25 anos pode ter zumbido porque ouve música alta, come muitos doces e é ansioso. Portanto, tudo o que puder ser revertido ou controlado tem chance de melhorar o seu zumbido. Não deixe de tentar.”

O zumbido pode atrapalhar a vida das pessoas?

Sim. Apesar de não incomodar algumas pessoas, para outras ele atrapalha bastante a qualidade de vida, mesmo quando não é causado por doenças sérias. Pode interferir com o sono e com a concentração no trabalho ou na leitura, deixando a pessoa mais ansiosa, irritada ou deprimida. É importante lembrar que em muitos casos, o tratamento pode melhorar o zumbido, trazendo de volta a qualidade de vida!

Há algum tratamento para o zumbido?

Sim. Há vários tipos de tratamento que podem ajudar a controlar o zumbido, porém nenhum deles pode ser generalizado para todos os pacientes. Portanto, a melhor escolha é aquela personalizada para cada caso, considerando-se a(s) causa(s) do zumbido em cada paciente e a presença ou não de outros problemas como perda auditiva, intolerância a sons e tontura. Alguns tratamentos incluem medicação e outros não. Pergunte ao seu médico otorrino de confiança, ele pode lhe ajudar! Se quiser, procure ajuda na forma de palestras no GAPZ (Grupo de Apoio e Pessoas com Zumbido) de sua cidade (São Paulo, Campinas, Curitiba, Brasília, Salvador e Rio de Janeiro); a partir de 2008, também em São José do Rio Preto e São Luís do Maranhão).Os endereços estão disponíveis pelo site www.zumbido.org.br .

Como posso prevenir o zumbido?

O estresse causa zumbido e o zumbido causa estresse, formando um ciclo vicioso. Qualquer coisa que alivie suas tensões pode ajudar: caminhadas e outras atividades físicas, yoga e meditação podem ser muito úteis. Música suave ou sons agradáveis também podem ajudar.

Evite o contato com ruídos fortes e, quando for a ambientes ruidosos, use protetores de ouvido e faça intervalos periódicos. Lembre-se do perigo potencial dos equipamentos de som, motocicletas, secadores de cabelo, shows e festas, entre outros.

Alimente-se bem! Evite longos períodos de jejum e o abuso de cafeína, doces, álcool e nicotina. Evite auto-medicação, pois certos medicamentos são perigosos para os ouvidos e podem piorar o zumbido.

Resumo

Existem várias causas e tratamentos disponíveis para o zumbido, mas é essencial adaptar as opções para as necessidades de cada paciente. Consulte seu otorrinolaringologista de confiança, que saberá lhe orientar adequadamente. Procure informações corretas e atualizadas. Isso pode ajudar muito a entender o zumbido e os problemas associados. Não desista!

Fundação Otorrinolaringologia

Rua Teodoro Sampaio, 417 – 5º andar

São Paulo – SP

CEP 05405-000

Tel/Fax.: (11) 3068 9855

http://www.forl.org.br