Câncer de mama – equipamento revolucionário chega ao Brasil para combater o câncer de mama

O tratamento por radioterapia intraoperatória proporciona resultado clínico equivalente ao tratamento convencional em uma única sessão

 

Primeiro no ranking entre as mulheres e o segundo tipo mais frequente da doença em todo o mundo, o câncer de mama responde por aproximadamente 22% dos novos casos a cada ano (dados do Instituto Nacional do Câncer). Esses números alarmantes têm chamado atenção do setor da saúde que, por sua vez, tem se movimentado para buscar tecnologias e alternativas no combate à doença. O hospital São Rafael, em Salvador, e o Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, são os primeiros a adquirirem o INTRABEAM®, um equipamento revolucionário no tratamento da doença destinado a pacientes em estágio inicial. A técnica, desenvolvida pela multinacional Zeiss, é uma oportunidade eficiente que diminui o tempo de tratamento radioterápico das mulheres.

A grande novidade é que, diferente do procedimento convencional de seis semanas, a radioterapia intraoperatória é feita logo após a remoção do tumor, ainda durante a cirurgia. O procedimento é realizado em uma única sessão e o tratamento dura em torno de 30 minutos. “Durante o procedimento, a posição do tumor é calculada e ele é removido. Feito isso, o aparelho é colocado na cavidade para o tratamento. Em seguida, o aplicador é removido e a incisão fechada”, explica o Dr. Ézio Novais, médico responsável pelo serviço de mastologia do Hospital São Rafael, em Salvador.

Hoje, a radioterapia intraoperatória ajuda a evitar exposição desnecessária à radiação e limita o tratamento à porção da mama onde o tumor primário estava localizado. Vale ressaltar que esse sistema usa raios-x de baixa energia e por ser feito no mesmo local da cirurgia, pode gerar menores danos ao tecido saudável, eliminar ou reduzir os possíveis efeitos colaterais associados ao método convencional como vermelhidão, sensibilidade ou alteração na cor da pele, fadiga, fibrose do tecido da mama ou atraso na cicatrização de feridas; melhorar o resultado estético e ainda permitir a substituição do tempo da radioterapia usual ajudando as pacientes a voltarem à rotina com mais rapidez.

No Brasil, estima-se que em 2014 mais de 57 mil novos casos da enfermidade serão diagnosticados. As taxas de mortalidade no país continuam elevadas por causa do diagnóstico tardio da doença. Normalmente, depois de diagnosticada a doença, o tratamento é feito através de cirurgia, uso de medicamentos e radioterapia, com o intuito de eliminar qualquer célula remanescente e impedir a reincidência do tumor.

 

 

Sobre a ZEISS

O Grupo Carl Zeiss AG é hoje um líder mundial de tecnologias altamente inovadoras nas indústrias médica, ótica, mecânica de precisão e sistemas microscópicos de visualização eletrônica. Há mais de 160 anos a ZEISS contribui com o progresso tecnológico mundial ao promover a criação, medição, análise e processamento de dados nas mais diferentes áreas. A companhia está presente em mais de 40 países, com cerca de 40 unidades de produção, mais de 50 centros de assistência e distribuição e quatro centros de pesquisa e desenvolvimento. A multinacional foi fundada em 1846 na cidade de Jena e, atualmente, sua sede fica em Oberkochen, na Alemanha.

 

*****

.
Camila Rodrigues | Relações com a Mídia
Grupo Máquina PR
Tel.: 55 11 3147 7255
Cel.: 55 11 97489 6560
www.grupomaquina.com

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.