Estudo revela que mulheres sofrem mais com estresse do que os homens

Sintomas e cuidados para evitar esse mal

.

Cada vez mais presente na sociedade moderna, o estresse se tornou uma problema comum no século XXI. Decorrente de diversas questões diárias, como trabalho, trânsito, filas e da dupla jornada de trabalho que as mulheres enfrentam no dia a dia, entre o trabalho e as responsabilidades domiciliar e familiar, o público feminino é o mais atingido. Com o pico dessas atividades, há um aumento da produção dos hormônios do estresse, entre eles cortisol e adrenalina, que atinge duas mulheres para cada homem, segundo dados do Programa Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo, pioneiro no país.

De acordo com o Dr. Armando Ribeiro, alguns dados do Programa de Avaliação, apontam que, aproximadamente, 90% das mulheres que procuram terapia têm queixas associadas à problemas no relacionamento, carreira ou família. “Pouco tempo com os filhos, demandas do casamento ou mesmo o excesso de dedicação ao trabalho, levam essas mulheres à exaustão física e emocional, aumentando as chances do aparecimento de quadros de ansiedade, pânico e depressão.”

Preocupação excessiva, tensão crônica, tremores, sensação de respiração curta ou sufocada, medo de perder o controle, medo de morrer ou ondas de calor são alguns dos sintomas da ansiedade relacionados ao estresse. Segundo o especialista, outro problema que tem relação com os sintomas do estresse crônico é tornar o organismo do paciente mais vulnerável as doenças relacionadas ao estresse, como hipertensão arterial, alergias, obesidade, doenças autoimune, doenças dermatológicas, doenças gastrintestinais, cefaleia e depressão.

O caminho ideal para que as mulheres não sofram com o estresse, segundo o psicólogo, é conhecer o seu nível de estresse atual, por meio de um programa de avaliação do estresse especializado, capaz de identificar as origens do seu estresse e orientar qual o melhor tratamento a seguir. Outras dicas são realizar atividades que lhe proporcionem sensação de prazer, como ler um livro, praticar esportes ou ouvir música.

.

Fonte

Armando Ribeiro – Psicólogo, especialista em Gestão do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

.

*****

 

Hugo Ribeiro
hugo.ribeiro@imagemcorporativa.com.br

 

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.