Cuidado redobrado ao viajar com as crianças

Especialista explica que fatores como condições climáticas não impedem o passeio
Os pais devem se atentar para proteção solar e roupas adequadas

.

Durante esta época do ano, as viagens com as crianças são mais frequentes. Porém, os pais devem tomar alguns cuidados ao alterar a rotina dos pequenos, principalmente se forem recém-nascidos. Dra. Isabela Pires explica que os bebês precisam de atenção redobrada nas viagens, por saírem do conforto de casa e dos horários habituais.

Além disso, a médica ressalta que o primeiro passo para uma viagem segura é entender as limitações da criança. “Bebês recém-nascidos devem ficar em casa, ou seja, até um ano de vida o ideal é ficar aos cuidados dos pais. Mas se a saída for inevitável, o recomendado é que passeios mais longos sejam feitos após os dois meses, quando os bebês já tomaram algumas vacinas fundamentais.”

Outro fator importante a ser analisado é a condição climática do local. “A exposição ao sol deve ser controlada. O uso de protetor solar só é permitido para bebês com mais de seis meses de vida. É importante lembrar que o cosmético utilizado deve ser especializado para cada faixa etária. Ou seja, antes dos dois anos, o protetor deve ser indicado para bebês, após esta idade deve ser usada a versão para crianças”, enfatiza. A médica destaca que antes desta idade a proteção contra o sol deve ser apenas respeitar os horários indicados pelo pediatra e evitar excessos de exposição.

Contudo, a médica garante que o clima não é uma restrição para viajar com crianças. “Nem o frio e nem o calor são motivos para cancelar a viagem com os pequenos. Os pais devem se atentar ao uso de roupas adequadas para cada temperatura e respeitar os horários de exposição ao sol.”

A especialista reforça, ainda, a importância de conversar com o pediatra antes das viagens, para que ele possa indicar os medicamentos recomendados para o passeio. “O kit de emergência, geralmente, é composto por medicação para vômito, soro de hidratação oral, remédio para febre e queimaduras solares. Mas cuidado! Toda medicação deve ser indicada pelo médico e o uso deve ser controlado pelos pais, para que não haja superdosagem”, acrescenta.

.

Viajar de carro ou de avião?

Dra. Isabela Pires afirma que não tem nenhuma restrição ao transporte utilizado, apenas dá algumas dicas para garantir o conforto dos bebês. “Viagens de carro tendem a ser mais tranquilas, pois os pais têm como parar o carro quando for preciso. A única exigência é a utilização do bebê conforto ou da cadeirinha adequada à idade da criança, conforme a lei prevê”, completa.

Já em viagens de avião a pressão do ar pode causar incômodo e até mesmo dor de ouvido. “Não são todas as crianças que têm problemas com a pressão no ouvido. Mas, para evitar este mal estar, dê algo para ela mastigar quando o avião for pousar. Se for um bebê, dê algo para ele sugar”, sugere a médica. A especialista lembra, ainda, que é importante avisar a companhia aérea sobre a idade do bebê, para que eles preparem um assento preferencial.

.

 Fonte

Isabela Pires – Médica pediatra do Hospital Santa Luzia, em Brasília.

.

 

 

 

 

.

 *****

.

Christiana Ribeiro
Imagem Corporativa
www.imagemcorporativa.com.br
www.twitter.com/icdigital
Tel: (55 61) 3039-8393
Cel: (55 61) 8491-0038

 

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.