Outubro Rosa alerta sobre prevenção do câncer de mama

Doença corresponde a 22% do total de novos casos de câncer no Brasil

.

O Outubro Rosa é um movimento mundial de conscientização do câncer de mama que mobiliza a sociedade com ações envolvendo a população, empresas e entidades para discutir a importância do diagnóstico precoce desse tipo de doença. Esse ano a Associação de Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais (Sogimig) é uma das entidades parceiras na Campanha. O projeto tem como símbolo o laço rosa e teve início na década de 90, nos Estados Unidos, sendo celebrado mundialmente. Conforme o Instituo Nacional de Câncer (INCA), a cada ano, esse tipo de carcinoma corresponde a 22% do total de casos novos da doença no Brasil. O câncer de mama é o tipo da mais comum entre as mulheres no mundo. Dados recentes de óbitos divulgados pelo INCA apontam que, em 2010, 12.852 pessoas morreram no Brasil devido ao problema, sendo 12.705 mulheres.

A idade avançada, exposição prolongada aos hormônios femininos, excesso de peso e histórico familiar ou de mutação genética são fatores de risco para a doença. O sintoma mais comum é a presença de um nódulo não doloroso e endurecido na mama. Entretanto, outros indícios devem ser considerados, como deformidade e/ou aumento do seio, retratação da pele ou do mamilo, vermelhidão, edema, gânglios axilares aumentados, dor e presença de líquido nos mamilos. Os médicos devem ser consultados no caso de qualquer uma dessas alterações.

A prevenção pode ser feita com o autoexame. As mulheres com mais de 40 anos devem realizar visitas periódicas ao mastologista e, anualmente, fazerem a mamografia. De acordo com o Dr. Clécio Lucena, a mamografia é o principal exame para diagnóstico precoce do câncer de mama. “Quando realizado dentro dos padrões ideais de qualidade, é capaz de reduzir a mortalidade por essa patologia em torno de 30% a 50%. Contudo, o exame é pouco realizado pelas mulheres brasileiras, sendo que apenas 30% delas o fazem regularmente.”

A mamografia ainda é o melhor método para se diagnosticar o câncer de mama em fase inicial, aumentando consideravelmente as chances de cura – 90% nesse estágio. As mulheres que dependem da saúde pública devem procurar a unidade básica para fazerem o acompanhamento médico.

O tratamento varia conforme o tipo e o estágio do câncer, podendo incluir combinação de dois ou mais recursos terapêuticos entre quimioterapia – uso de medicamentos para matar as células malignas; radioterapia; hormonioterapia – uso de medicamentos para bloquear a ação dos hormônios femininos; e cirurgia para a retirada do tumor ou retirada completa da mama – mastectomia.

O Outubro Rosa garante um maior engajamento da sociedade para disseminação de informações sobre a doença. “Quanto maior forem as informações e os alertas à prevenção do câncer de mama, maiores as chances de se diagnosticar o problema em estágio inicial”, esclarece Dr. Lucena.

.

Fonte

Clécio Lucena – Médico mastologista e membro da diretoria da Associação de Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais (Sogimig),

 

 

*****

.

 
Dariane Araújo
Zoom Comunicação Empresarial
(31) 2511 3111 e 8863 2937
www.zoomcomunicacao.com.br




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.