Dia Mundial do Rim – “Pare de agredir seu rim”

SBN coordena atendimento gratuito à população em todo o país.
A iniciativa faz parte da campanha “Pare de agredir seu rim” em comemoração ao Dia Mundial do Rim, que acontece em 14 de março.
Em São Paulo, a SBN vai atender mais de seis mil pacientes da rede pública.

.

Pessoas com pressão alta, diabetes e obesidade são sérias candidatas a ter problemas renais. Casos da doença na família, idade superior a 50 anos e uso de remédio sem orientação médica ampliam assustadoramente a possibilidade. De acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), cerca de 10 milhões de brasileiros sofrem com alguma disfunção renal. Sem um diagnóstico preciso, a maioria dos pacientes morre sem sequer ter acesso à diálise, o principal tratamento da doença em estágio avançado. No Dia Mundial do Rim, comemorado em 14 de março, a SBN vai reforçar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce. Com o tema “Pare de agredir seu rim”, a entidade coordenará atendimentos à população em todo o Brasil. Somente em São Paulo, mais de seis mil pacientes da rede pública terão acesso a exames e informação.

“O diagnóstico precoce pode conter o avanço da doença”, afirma o Dr. Daniel Rinaldi dos Santos. Segundo ele, a doença renal crônica é facilmente diagnosticada por meio de um exame de urina e da dosagem de creatinina no sangue e pode ser efetivamente tratada, retardando a progressão da doença e reduzindo as mortes, que chegam a 17% ao ano, e os custos. O gasto anual somente com a terapia renal substitutiva é de mais de R$ 2 bilhões.

Equipes multidisciplinares farão a verificação de pressão arterial, medidas de glicemia capilar e exames de fitas de urina para a detecção de sangue e albumina (proteína), além da distribuição de folhetos informativos e palestras dirigidas ao público, em que serão abordadas as funções dos rins, as principais situações de agressão renal e as orientações de como prevenir as lesões renais, além de mostrar a importância da doação de órgãos. Em 2012 foram realizados 5.385 transplantes renais no Brasil, sendo 1.488 de doadores vivos e 3.897 de doadores falecidos. Estima-se que cerca de 32 mil pacientes estejam na fila de espera aguardando um transplante renal.

Na cidade de São Paulo, as atividades serão realizadas em 13 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e no Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), atendendo mais de seis mil pessoas, sendo cerca de 400 em cada UBS e 1.200 no HSPE. As Regionais da SBN também já programaram o atendimento ao público, nos respectivos estados.

A campanha em 2013 inclui também a iluminação dos principais monumentos, edifícios públicos e marcos históricos, na cor amarelo ouro – definida pela SBN para marcar o Dia Mundial do Rim.

Dados da SBN mostram que existem em torno de 100 mil brasileiros em diálise, com uma taxa de internação hospitalar de 4,6% ao mês. Mais de 70% dos pacientes que iniciam a diálise descobrem a doença quando os rins já estão gravemente comprometidos. A taxa de mortalidade desses pacientes aumentou 38% na última década.

.

Ministério de Saúde

A campanha irá reforçar também a importância do Plano de Cuidados da Linha Renocardiovascular, que está sendo elaborado pela SBN em parceria com o Ministério da Saúde e começa a ser implantado ainda este ano. O objetivo é oferecer atendimento integral ao paciente portador de doença renal.

 

Sociedade Brasileira de Nefrologia

Fundada no dia 02 de agosto de 1960, a Sociedade Brasileira de Nefrologia conta hoje com 3.100 associados em todo o país. O objetivo da entidade é congregar médicos e profissionais da saúde em torno da nefrologia, promovendo o crescimento da especialidade, por meio do apoio aos profissionais, o incentivo a projetos científicos e educacionais, colaboração com as demandas das sociedades médicas afins e com as demandas governamentais, no sentido de garantir à sociedade universalização do acesso à saúde renal.

.

Censo SBN

* 10 milhões de pessoas têm disfunção renal
* 50/100.000 habitantes é a prevalência da doença no país
* 100 mil brasileiros em diálise
* 70% dos pacientes em diálise descobrem a doença tardiamente
* 2  bilhões de reais são gastos em tratamentos
* 17% é a taxa de mortalidade de pacientes em diálise
* 50% é a taxa de mortalidade de IRA
* 1 em cada 6 hipertensos terá doença renal
* Nefrite é a terceira causa de diálise no Brasil
* 8,8% foi o percentual de crescimento de transplante renal em 2012

.

Fonte

Daniel Rinaldi dos Santos – Presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia. Professor adjunto da Faculdade de Medicina do ABC, nefrologista responsável pelo Centro Nefrológico do ABC e pelo Serviço de Residência Médica em Nefrologia do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo.

.

*****

.

Mais informações

Lúcia Scotero
11-4787-1322
11-9-9187-8575
Email: imprensa@sbn.com.br
lucia@studiographico.com.br

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.