O coração da mulher – fatores de risco

Dia 8 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher
O coração feminino é um dos mais afetado por alguns hábitos de vida moderna

.

O atual estilo de vida das mulheres exige muito de sua saúde mental e física. Hoje, as mulheres quebram o rótulo de “sexo frágil” e carregam enormes e variadas responsabilidades, como cuidar da casa, dos filhos e do casamento, tudo isso aliado à pressão da rotina profissional e da correria das grandes cidades.

Mesmo com inúmeras tarefas, as mulheres reconhecem a necessidade de cuidar da saúde, o que é imprescindível para que suas vidas tão aceleradas não sejam prejudicadas por qualquer tipo de problema. Apesar disso, existe um importante órgão que não tem a devida atenção do sexo feminino: o coração.

O que muitas mulheres não sabem é que seus corações têm seu funcionamento afetado por alguns aspectos estritamente femininos como, por exemplo, a menopausa. “Nesse período ocorre a perda acentuada da quantidade de estrogênio, hormônio feminino responsável pela manutenção do revestimento dos vasos sanguíneos. Com isso, os vasos ficam mais dilatados, ocasionando queda de pressão sanguínea, o que diminui o ritmo do coração”, explica o Dr. Marcelo Queiroga.

Além da menopausa, tratamentos comuns entre as mulheres, como pílulas anticoncepcionais e reposição hormonal também influenciam negativamente o coração. “No caso da ingestão de anticoncepcionais, o risco de trombose – formação de grandes coágulos que impedem a passagem sanguínea – ocorre devido ao excesso de estrogênio presente no medicamento”, salienta Dr. Queiroga. Felizmente esse quadro vem se modificando ao longo dos anos, com a diminuição da quantidade do hormônio nas pílulas mais modernas.

Segundo dados divulgados na França no ano passado, entre as pessoas que sofreram um infarto abaixo dos 60 anos, 25,5% delas foram mulheres. Dr. Queiroga confirmam que realmente o maior risco de infarto está entre mulheres. “Estima-se o risco delas desenvolverem doença coronária seja de 32% em mulheres acima dos 40 anos de idade. O risco da ocorrência de infarto é proporcional ao número de fatores de risco que a mulher apresenta, sendo que a entrada na menopausa dobra ou triplica este risco”.

Outros fatores de risco para a saúde do coração feminino encontram-se em hábitos presentes na vida de muitas mulheres como o tabagismo, excesso de peso, colesterol alto, hipertensão, sedentarismo e dieta alimentar inadequada. “Há 20 anos a proporção de mulheres infartadas era de uma a cada dez pessoas acometidas pelo infarto. Hoje isso aumentou para três mulheres a cada dez casos de infarto, devido aos hábitos de vida da mulher moderna”, ressalta o Dr. Queiroga.

.

Fonte

Marcelo Queiroga – Médico cardiologista, presidente da Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI).

.

Campanha Coração Alerta

A SBHCI e a SBC – Sociedade Brasileira de Cardiologia – uniram-se para promover a Campanha Coração Alerta. No site (www.coracaoalerta.com.br), a população tem acesso às matérias e vídeos que, de maneira informativa, abordam temas relacionados à saúde do coração e os riscos de doenças cardíacas. Além disso, o conteúdo é divulgado por meio dos perfis nas redes sociais: Facebook (www.facebook.com/CoracaoAlerta) e Twitter (www.twitter.com/CoracaoAlerta, @CoracaoAlerta).

Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista

Fundada em 1975, a Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista – SBHCI – é uma entidade sem fins lucrativos que tem como principais objetivos zelar pelo nível ético, eficiência técnica e sentido social do exercício profissional da Cardiologia Intervencionista. A entidade é responsável por regulamentar à concessão do título de especialista, estabelecer normas e fiscalizar os serviços de cardiologia intervencionista, denunciando às autoridades competentes o não cumprimento das exigências mínimas de funcionamento. Além disso, a SBHCI promove cursos de atualização para estimular os estudos, à pesquisa científica, tecnológica e à educação continuada.

.

*****

.

Agência de relações públicas

Ogilvy Public Relations
Nadia Sousa
Tel: (11) 3769-8718
nadia.sousa@ogilvy.com
Carla Meneghini
Tel: (11) 3769-8719
carla.meneghini@ogilvy.com
Luisa Lorente
Tel: (11) 3769-8751
Luisa.lorente@ogilvy.com




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.