Os efeitos do Pilates na dor lombar

Estudo com coordenação do professor Mauro Gonçalves da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Rio Claro avalia os efeitos do método Pilates na ação dos músculos do abdômen e das costas (região lombar).
O objetivo é identificar se houve alguma mudança após a realização dos exercícios.

                                                                                                                                           .

O Método Pilates tem por finalidade automatizar padrões de recrutamento dos músculos estabilizadores da coluna lombar, que normalmente não são exercitados na academia e em aulas de ginástica.

Segundo o professor Gonçalves, a estabilização da coluna lombar se dá de forma a equilibrar a ação da força entre os músculos da região abdominal e das costas (região lombar).

“Quando o procedimento é aplicado adequadamente, o praticante da técnica ou o paciente deve seguir alguns Princípios que precisam ser executados em todos os níveis de exercício”, diz o educador físico.

Financiado pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, a pesquisa avalia a ação dos músculos com uso da eletromiografia de superfície durante a execução do Princípio Centrando do Método Pilates. A eletromiografia de superfície é uma técnica de avaliação biomecânica que permite identificar o quanto um músculo está sendo ativado durante uma tarefa. “A quantidade de ativação do músculo possui certa relação com a capacidade do músculo em desenvolver resistência durante o movimento”, diz o professor.

De acordo com o professor Gonçalves, foi utilizada a técnica de avaliação para verificar se pessoas com e sem dor lombar apresentam diferença na resistência e consequentemente na estabilidade, gerada pelos músculos abdominais e das costas.

Participaram do estudo 20 mulheres voluntárias, fisicamente ativas, com idade entre 18 e 25 anos. O teste foi feito com as mulheres na posição sentada em uma postura denominada neutra, “caracterizada por ser a condição ótima para avaliar a ação dos músculos estabilizadores da região lombar”, explica o pesquisador.

As voluntárias foram solicitadas a realizar a contração do músculo oblíquo interno, que está localizado na região inferior do abdômen e está ligado, por meio de tecido conjuntivo, às vértebras lombares. Esta atividade, que faz parte do Princípio Centrando é realizada para prover estabilidade à coluna durante a execução dos movimentos.

Publicado no Jornal of Bodywork & Movement Therapies, da editora Elsevier, em junho do ano passado, o estudo mostrou que pessoas com dor lombar apresentam menor equilíbrio da atividade dos músculos abdominal e multifido (músculo das costas, região lombar). “Isto possivelmente indica que indivíduos com dor lombar apresentam menor estabilidade nas articulações formadas pelas vértebras da coluna lombar, conclui o professor Mauro.

                                                                                                                                                                                                                                                                      .

*****

.

Assessoria de Comunicação e Imprensa da Unesp
(11) 5627-0329/0330/0429/0566

Acesse o release também pela Agência Unesp de Notícias http://unan.unesp.br/

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.