Tabagismo – dicas e informações à população sobre como e porque é necessário parar de fumar

O dia 29 é marcado pelo Dia Nacional de Combate ao Fumo, uma data para lembrar sobre a importância de parar de fumar para a saúde da população. Com esse objetivo, a doutora Iara Fiks revela as principais verdades sobre o mau hábito do cigarro, que acomete cerca de 25 milhões de brasileiros, de acordo com dados divulgados pelo IBGE¹. Segundo dados do Ministério da Saúde, 200 mil pessoas morrem por ano no Brasil em decorrência do tabagismo².

1. Por que é tão difícil parar de fumar? Por que o cigarro vicia?

Dra. Iara Fiks: Parar de fumar é difícil devido à dependência química, psicológica e comportamental. A dependência química diz respeito à nicotina, substância presente no tabaco que age rapidamente no organismo, entre 7 e 9 segundos, e produz alterações no sistema nervoso central. O consumo persistente do cigarro gera um aumento constante da quantidade de receptores de nicotina e faz com que o cérebro tenha uma necessidade cada vez maior da substancia, formando-se um ciclo viciante. A dependência psicológica, por sua vez, está relacionada ao que o cigarro representa para o tabagista, como símbolo de autonomia e maturidade, ou a um hábito cotidiano, tal como tomar café, beber álcool e falar ao telefone.
                 

2. Porque os dentes ficam amarelados?

Dra. Iara Fiks: A nicotina e os outros produtos do cigarro soltam uma substancia que amarela não só nos dentes, mas também nos dedos, lábios e bigode.

3. Quais as principais dicas para o fumante parar de fumar?

Dra. Iara Fiks: O primeiro passo é querer e decidir uma data para parar de fumar. O segundo é procurar a ajuda de um pneumologista ou outras especialidades médicas, pois parar de fumar sozinho é difícil. Deve-se mudar alguns hábitos de vida, como evitar os estimulantes que são acompanhados pelo hábito de fumar, como álcool e cafeína. Buscar ajuda de amigos e familiares é importante, pois o  incentivo é um grande aliado. Em relação ao tratamento, é essencial realizá-lo de acordo com a orientação médica e por pelo menos três meses, não desistindo no primeiro mês, e nunca se esquecer da disciplina.
                      

4. Qual o benefício do uso de medicamentos, como adesivos, para parar de fumar?

Dra. Iara Fiks: Os medicamentos ajudam no tratamento da síndrome de abstinência causada pela ausência do cigarro. Os adesivos, por exemplo, substituem a nicotina inalada no cigarro pela nicotina transdérmica. O tratamento medicamentoso deve ser feito com orientação médica.
 

5. Quais podem ser as consequência do tabagismo? Existe uma quantidade de cigarros por dia para não prejudicar a saúde?

Dra. Iara Fiks: O cigarro é sempre maléfico à saúde, por isso, qualquer quantidade é considerada prejudicial à saúde. O alcatrão, produto da queima do tabaco é composto por mais de 4 mil substâncias diferentes. Por isso, a gama de malefícios é tão diversa. Os mais frequentes são problemas cardiovasculares, aterosclerose e obstrução arterial, que leva ao infarto do miocardio e outras doenças obstrutivas arteriais e pulmonares, como a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Há também as neoplasias (câncer), principalmente na boca, laringe, pulmões e esôfago.

6. O que é a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e qual a relação com o tabaco?

Dra. Iara Fiks: A DPOC é uma doença respiratória crônica passível de prevenção e tratamento caracterizada por alterações pulmonares que causam a obstrução das vias aéreas e destruição do tecido pulmonar, dificultando a respiração. O tabagismo é o seu fator de risco mais importante.

7. Ao parar de fumar o paciente evita a DPOC?

Dra. Iara Fiks: Se a pessoa parar antes de apresentar perda da função pulmonar sim. Caso já tenha desenvolvido a DPOC, a doença poderá não progredir com a retirada do cigarro e o tratamento correto.

8. Como é feito o tratamento da DPOC?

Dra. Iara Fiks: O primeiro passo é parar de fumar e iniciar atividades físicas diárias. Em paralelo, pode ser indicado um tratamento com broncodilatadores (medicamentos que dilatam os brônquios). Os que são utilizados uma vez ao dia aumentam a adesão e são aliados no tratamento. É indicado em casos mais graves o uso de oxigênio.
        

Fonte

Iara Fiks – Médica pneumologista membro da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia.

 

Referências:

1. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_impressao.php?id_noticia=1505

2. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=18026

3. Stead LF, Perera R, Bullen C, Mant D, Lancaster T, Nicotine replacement therapy for smoking cessation (Review), The Cochrane Library 2008, Issue 3.
 

Disclaimer

As informações contidas neste texto têm caráter informativo, não devendo ser usadas para incentivar a automedicação ou substituir as orientações médicas. O médico deve sempre ser consultado a fim de prescrever o tratamento adequado.

                   

Sobre a Novartis (www.novartis.com.br)

A Novartis oferece soluções de saúde inovadoras que atendem às necessidades em constante mudança de pacientes e da população. Com sede em Basileia, Suíça, a Novartis oferece um diversificado portfólio para melhor atender essas necessidades: medicamentos inovadores; cuidados com os olhos; medicamentos genéricos de baixo custo; vacinas preventivas e ferramentas de diagnóstico; e produtos de consumo em saúde e saúde animal. A Novartis se dedica a pesquisas e desenvolvimento de produtos para ajudar os tabagistas e pararem de fumar e tratar graves consequências do tabagismo, como a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).
        

*****
       

Contatos

Carolina Scavazzini
Comunicação Novartis
(11) 5532-7022
(11) 98444-1454
E-mail: carolina.scavazzini@novartis.com  

Renata Mesquita
In Press (agência externa)
(11) 3323-1560
(11) 98588-2228
E-mail: renata.mesquita@inpresspni.com.br




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.