Psicose e Sofrimento

Psicose e Sofrimento

O livro trata de duas distintas clínicas gestálticas: a clínica das psicoses e a clínica do sofrimento ético, político e antropológico. Com base em casos clínicos, os autores delimitam o estilo gestáltico de compreensão e intervenção nos contextos em que se produzem reações psicóticas e aflitivas.

Distinguir as psicoses das diferentes modalidades do sofrimento ético-político e antropológico – dentre elas o surto, este é o objetivo dos psicólogos Marcos José Müller-Granzotto e Rosane Lorena Müller-Granzotto. No livro Psicose e Sofrimento (456 p., R$ 81,90), lançamento da Summus Editorial, eles abordam duas distintas clínicas gestálticas: a das psicoses e a do sofrimento, de forma que as diferentes leituras teóricas sobre a psicose dialoguem entre si, refletindo melhor sobre os casos clínicos concretos, segundo a realidade dos profissionais de saúde e assistência social que atuam na rede pública e privada.

“O livro propõe uma discussão sobre o sentido ético, político e antropológico de nossas intervenções, e o papel da família e das instituições de saúde no acolhimento aos sujeitos das formações psicóticas e os sujeitos em sofrimento”, afirmam os autores. Para eles, as formações psicóticas (como as alucinações, os delírios e as identificações maníaco-depressivas) não são patologias, mas criações com base em um contexto de vulnerabilidade ética. “As manifestações de sofrimento também são criações, que ocorrem a partir da vulnerabilidade antropológica a que somos remetidos quando nossas identidades (inclusive a psicótica) estão ameaçadas pelo outro social”, complementam.

Com base nos casos clínicos e na interlocução com a psiquiatria fenomenológica, com a psicanálise lacaniana e com a filosofia política contemporânea de Merleau-Ponty, Michel Foucault e Giorgio Agamben, os autores delimitam o estilo gestáltico de compreensão e intervenção nos contextos em que se produzem reações psicóticas e aflitivas. Dessa forma, ampliam as hipóteses de Perls, Hefferline e Goodman a respeito da psicose e do sofrimento como ajustamentos criadores, refletindo sobre a relação entre as demandas da sociedade de consumo e as reações estranhas e desesperadas produzidas pelos sujeitos excluídos das relações de poder.

Dividida em duas partes, a obra aborda questões relacionadas à clínica das psicoses, bem como ao sofrimento ético-político e antropológico e a clínica da inclusão. Segundo uma discussão com diferentes tradições de intervenção no campo da psicose e do sofrimento, os autores ampliam as formulações de PHG, visando ensaiar uma compreensão gestáltica sobre a gênese, os diferentes modos de ajustamento e as diversas formas de intervenção nesses campos. “O objetivo é apresentar nossa compreensão sobre os dois empreendimentos clínicos que constituem a faceta mais psicossocial das clinicas gestálticas”, complementam os autores.

A obra está intimamente ligada ao histórico de participação em políticas públicas de inclusão social dos autores. “Mas, em contrapartida, está também ligada à nossa desconfiança com relação à militância, porquanto esta é sempre tributária das promessas ideológicas do estado de direito, as quais são responsáveis pela grande parte das práticas de exclusão social”, revelam os psicólogos. Dessa forma, ela nasceu de uma prática – exercida em consultórios particulares, na Atenção Básica e nos Caps – de escuta e acolhimento às psicoses e às diferentes modalidades de sofrimento, porém, articula-se com base em uma pesquisa acadêmica rigorosa estabelecida dentro de uma universidade e de uma escola de especialização em Psicologia Clínica, com base na interlocução constante com seus pares, alunos e usuários.
        

Os autores

* Marcos José Müller-Granzotto – Doutor em Filosofia e professor e pesquisador da Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente exerce a subcoordenação do Programa de Pós-graduação em Filosofia. Psicólogo, especialista em psicologia clínica e gestalt-terapeuta, desenvolve ao lado de Rosane uma pesquisa e uma prática em favor da ampliação das clínicas gestálticas, trabalho este conhecido internacionalmente. Coordenador pedagógico do projeto “Inclusão psicossocial na cultura”, dirigido a famílias de sujeitos psicóticos e aprovado pelo Ministério da Cultura, é autor do livro Merleau-Ponty: acerca da expressão (EDIPUCRS, 2001) e coautor de Fenomenologia e Gestalt-terapia (Summus, 2007).

* Rosane Lorena Müller-Granzotto – Psicóloga clínica, artista plástica e gestalt-terapeuta com mestrado em Filosofia. Ela dirige o Instituto Müller-Granzotto de Psicologia Clínica Gestáltica em Florianópolis (SC), onde exerce trabalho clínico e prática docente no curso de Especialização em Gestalt-terapia, além de coordenar projetos de artes integradas. Ministra seminários avançados em diversos centros de Gestalt-terapia no Brasil, na Espanha e na América Latina. Ao longo de sua carreira, participou ativamente dos movimentos de reforma psiquiátrica e implantação de serviços substitutivos em Santa Catarina. Revisou e prefaciou a edição brasileira do livro Gestalt-terapia integrada, de Erving e Miriam Polster, e é coautora do livro Fenomenologia e Gestalt-terapia (Summus, 2007).
          
                  

Título: Psicose e Sofrimento
Autores: Marcos José Müller-Granzotto e Rosane Lorena Müller-Granzotto

Editora: Summus Editorial
Preço: R$ 81,90 (ebook: R$ 57,30)
Páginas: 456 (14 x 21)
ISBN: 978-85-323-0806-1
Atendimento ao consumidor: 11-3865-9890
Site: www.summus.com.br
       

*****
         

Ana Paula Alencar
Grupo Editorial Summus
11-4787-1322 / 11-7806-7169
ID 55*38*211844
Email: imprensa@gruposummus.com.br 
Skype: anapealencar
Twitter: @anapaula_press




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.