Lapsos de memória – três conselhos para evitá-los

Se você tem uma ótima memória, todo mundo elogia: Que memória de elefante!
Se você anda meio esquecido: Pô, meu! Que memória de peixe!

Em meu livro, “Os 10 hábitos de memorização” explico que os apagões de memória são alarmes silenciosos emitidos por nosso sistema nervoso indicando que existe algo de errado conosco. Podem alertar para alterações de ordem emocional ou física. Emocional quando refletem estados como estresse, ansiedade, medo, pânico ou depressão e físico quando indicam falta de sono, má alimentação ou sedentarismo.
            

Sobre os lapsos de memória, eu daria três conselhos

1. Invista em qualidade de vida – Adotar um estilo de vida saudável, com alimentação balanceada (legumes, cereais, verduras, frutas, peixes), ótimas noites de sono (pelo menos 8 horas), atividade física (se possível, aeróbica) e manter um estado de bom humor propiciam maior concentração e, por consequência, melhor memorização e recordação. A regra é: Onde tem saúde, tem boa memória!

2. Pegue leve no ofício – Estar de bem com a vida, com o trabalho, a gratidão pelas oportunidades que a vida nos dá, faz com que relaxemos e isso alivia as tensões. Depositar uma carga de estresse numa atividade nos torna muito vulneráveis aos apagões mentais. O fato de ter esquecido a letra da música numa primeira apresentação pode deixar um cantor inseguro para uma segunda, terceira ou mais apresentações e isso pode agravar uma situação que já está pressionando.

3. Treine, treine, treine – O branco na memória pode e deve ser prevenido com treinamento. Se um cantor tem dificuldade de lembrar a letra da música (memória auditiva), significa que ele deve estimular outras memórias, por exemplo, a visual. Neste caso, recomendo selecionar as músicas do repertório e escrever com atenção a letra de cada uma delas. Fazendo esse dever de casa, o cantor estará estimulando a formação de novas memórias, reforçando velhas sinapses e treinando. Falhas de memória causam constrangimento e nos faz perder oportunidades, mas a boa notícia é que podem ser corrigidas, quando não são de ordem degenerativa, como no caso do Alzeimer.
      

Fonte

Renato Alves – Especialista em Memorização e Concentração e Recordista de Memória e autor do livro “Os 10 hábitos da memorização” publicado pela Editora Gente.
            

*****
           

Renan Miret
Cia. da Informação
www.ciadainformacao.com.br
Tel: (11) 3074 3441




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.