Blefarite – idosos têm mais inflamação das pálpebras no calor

Proliferação de bactérias, evaporação da lágrima e maior oleosidade da pele aceleram a inflamação
Oftalmologista dá dicas de como evitar
       

As altas temperaturas do verão aumentam os casos de inflamação das pálpebras, também conhecida como blefarite. Nos meses quentes, os consultórios oftalmológicos lotam de pacientes com pálpebras inchadas, olhos vermelhos, visão flutuante, coceira, sensibilidade à luz e desconforto ocular no período da manhã.

O Dr. Leôncio Queiroz Neto explica que estes são os principais sintomas da blefarite. O diagnóstico é feito em exame de rotina com aplicação de teste de Schirmer, padrão para medir a produção da lágrima. A ruptura do filme lacrimal antes de 15 segundos é um alerta de blefarite.  Ele afirma que a doença ocorre em qualquer faixa etária. Mas, atinge mais quem tem idade superior a 60 anos e mulheres que abusam do uso de maquiagem.

Isso porque, o envelhecimento diminui a produção da lágrima que evapora ainda mais no calor. Alterações hormonais, queda da resistência às bactérias que ganham força nos ambientes quentes e uso de medicamentos para tratar doenças auto-imunes também facilitam o desenvolvimento da blefarite entre idosos.

Já o uso excessivo de maquiagem pode obstruir ou inflamar as glândulas na borda das pálpebras, responsáveis pela produção da camada oleosa da lágrima que controla a evaporação do filme lacrimal. Por isso, a blefarite agrava o olho seco, pode causar infecções na superfície ocular e comprometer a qualidade da visão depois da cirurgia de catarata.
           

Como prevenir

Dr. Queiroz Neto afirma que mais da metade das pessoas correm risco de desenvolver blefarite após a cirurgia de catarata porque apresentam olho seco. “Isso acontece por causa da toxidade dos colírios usados antes e depois da operação, da idade dos pacientes e porque a maioria dos brasileiros continua em atividade, usando o computador, mesmo após a aposentadoria”.

Para prevenir, ele diz que o primeiro passo é estimular a produção da lágrima através da suplementação nutricional com ômega 3 encontrado na semente de linhaça, nozes, óleo de sardinha e de bacalhau.  Pacientes submetidos à cirurgia de catarata também devem receber imunomodulação, independente da gravidade do olho seco.
     

Outras dicas do médico para evitar a inflamação palpebral são:

* Aplicar compressas mornas nos olhos 3 vezes ao dia.
* Fazer massagens circulares, especialmente na pálpebra inferior.
* Lavar as pálpebras com uma haste de algodão embebida numa solução de shampoo infantil e água morna.
* Evitar maquiagem e lente de contato nos olhos irritados.

Em geral, quem tem blefarite também precisa aplicar colírios, mas a instilação só deve ser feita sob supervisão médica para evitar complicações.
              

Fonte

Leôncio Queiroz Neto – Médico oftalmologista do Instituto Penido Burnier.
          

*****

 

Informações à imprensa

Eutrópia Turazzi – LDC Comunicação
eutropia@uol.com.br
F: (19) 3272-8784
Celular: (19) 9172-4437

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.