Dia das Mães – médico dá dicas de saúde da mulher

No segundo domingo de maio, comemoramos o Dia das Mães, e para celebrar esta data tão especial, o ginecologista e obstetra, defensor do parto humanizado (www.partosemmedo.com), Alberto Jorge Guimarães, preparou algumas dicas para auxiliar no alívio e tratamento dos principais problemas relacionados à saúde da mulher.

A manutenção da boa saúde da mulher exige uma série de cuidados e atitudes preventivas. Cada mulher tem uma história e uma bagagem hereditária que devem ser analisadas cuidadosamente com a supervisão de um médico, para garantir uma vida saudável e sem surpresas. “Que o Dia das Mães desta mulher seja em algum momento que ela tenha um olhar para si mesma, para cuidar da sua saúde e do seu bem-estar. Tudo isso, sem culpa, é claro”, diz o médico.

Com o corre-corre do dia a dia, o stress, a alimentação desequilibrada e o sedentarismo podem desencadear uma série de situações indesejáveis na vida de uma mulher. Entre elas, o médico sugere: controle da pré-menstrual (TPM), menopausa e reposição hormonal e exames de rotina.  Dr. Alberto, alerta porém, que nenhuma informação dispensa a confirmação, orientação e o tratamento de um médico especialista.
        

Tensão Pré-Menstrual – TPM

Estudos mostram que 90% das mulheres sofrem com os sintomas físicos e emocionais que ocorrem nos dias que antecedem a menstruação. Dentre os principais sintomas destacam-se: dores nas mamas; dores de cabeça; retenção de líquidos; aumento do apetite; ansiedade; irritabilidade; e depressão.

De acordo com o Dr. Alberto, a TPM tem tratamento e é fundamental que a mulher faça o acompanhamento ginecológico para controlar os sintomas da tensão.
          

Menopausa

A menopausa é caracterizada pela ausência de menstruação por um período de 12 meses consecutivos. Geralmente ocorre entre os 45 e os 55 anos, e as consequências a longo prazo, da deficiência do hormônio estrogênio propiciam sintomas desagradáveis e algumas doenças. Os principais sintomas são: ondas de calor; suores noturnos; insônia; menor desejo sexual; irritabilidade; depressão; ressecamento vaginal; diminuição da atenção e memória. Segundo o Dr. Alberto, para o tratamento da menopausa é fundamental que a mulher faça o acompanhamento ginecológico para os casos de reposição hormonal.
                      

Autoexame das mamas

Leva apenas alguns minutos e é necessário fazer uma vez por mês. No entanto, o Dr. Alberto recomenda que esse exame não substitua o exame clínico de mama, que deve ser feito anualmente por um médico. Muitas mulheres têm receio de fazer o autoexame, mas ele é a melhor e mais fácil maneira de se diagnosticar os tumores de mama nas fases iniciais”, alerta.
   

Exame ginecológico

É um dos mais importantes exames para a saúde da mulher. Além de simples, tem reduzido as mortes por câncer de colo de útero em 70%. O sucesso do teste é porque ele pode detectar o vírus HPV e outras doenças que ocorrem no colo do útero antes do desenvolvimento do câncer. “O exame não é somente uma maneira de diagnosticar a doença, mas serve principalmente para determinar o risco de uma mulher vir a desenvolver o câncer”, explica. Todas as mulheres, com ou sem atividade sexual atual, devem fazer o exame anualmente.
     

Fonte

Alberto Jorge de Sousa Guimarães – Médico ginecologista e obstetra pela Faculdade de Medicina em Teresópolis e mestre pela Escola Paulista de Medicina, UNIFESP. Defensor dos conceitos de Parto Humanizado, idealizado pelo médico francês Michel Odent, bem como as questões de proximidade mãe e filho apontados por Ashley Montagu e Frederic Laboyer. Dr. Guimarães começou a praticar no Brasil ideias inovadoras, sobre um novo modelo de assistência à parturiente, enfatizando o parto como um evento de máxima feminilidade, quando a mulher e bebê são os protagonistas. Um conceito de ambiente calmo e tranquilo, que com o amparo do pai, mãe e bebê vivenciam este momento de forma livre, espontânea e ativa.

Atualmente o médico vem difundindo uma proposta de reformulação dos protocolos de assistência à mulher, propondo um atendimento com menos intervenções farmacológicas e uma assistência mais humana no parto. Embasado por vários estudos científicos, Dr. Guimarães pratica com as pacientes o parto na água. Segundo ele, a água quente aliada a técnicas de respiração, pode proporcionar um parto com menos dor e uma passagem mais suave para o bebê que encontra um ambiente externo parecido com o experimentado durante nove meses na barriga da mãe.
      

*****

Patricia Ribeiro
Tels 11 8080-9495
pribeiron@hotmail.com




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.