Dengue – aprenda a cuidar da sua casa

A dengue é uma doença infecciosa aguda, causada por um vírus de evolução benigna, na maioria dos casos. Ela é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti infectado, que se desenvolve em áreas tropicais do mundo, inclusive no Brasil, pois as condições do meio ambiente favorecem seu desenvolvimento e proliferação. Esse mosquito pica durante o dia, ao contrário do mosquito comum que pica durante a noite. As epidemias ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos.

A transmissão da dengue se dá pela picada do mosquito Aedes aegypti que ficou infectado porque picou uma pessoa doente. Esse mosquito infectado, picando uma pessoa sadia, passa o vírus da dengue a essa pessoa que fica doente. A dengue só acomete a população humana. O mosquito transmissor prolifera-se em qualquer lugar onde houver água parada, tais como caixas d’água, latas, pneus, cacos de vidro, vasos de plantas, entre outros. A transmissão é mais comum em cidades e é rara em grandes altitudes. Não há transmissão pelo contato direto de uma pessoa doente para uma pessoa sadia. Também não há transmissão pela água da torneira, por alimentos ou por quaisquer objetos.

Existem dois tipos de dengue: a clássica e a hemorrágica.

A dengue clássica é uma doença que, na grande maioria dos casos (mais de 95%), causa desconforto e transtornos, mas não coloca em risco a vida das pessoas. Ela se inicia com febre alta podendo apresentar dor de cabeça, prostração, dor muscular, enjoo e vômitos. Após a picada do mosquito, os sintomas se manifestam a partir do terceiro dia. A maioria das pessoas começa a melhorar e se recupera por completo após quatro ou cinco dias do início dos sintomas.

A dengue hemorrágica é uma forma grave da dengue clássica e é rara. Nela ocorre um agravamento do quadro clínico da dengue clássica com sangramento pelo nariz, boca ou gengiva e manchas vermelhas na pele. Essa situação pode evoluir para um colapso circulatório, choque e, finalmente, pode levar a pessoa à morte.

O diagnóstico da dengue é clínico (história dos sintomas e exame físico) e laboratorial. Uma pessoa pode ter dengue até quatro vezes, pois existem quatro tipos diferentes de vírus da dengue.

O tratamento da dengue é apenas de suporte, ou seja, alívio dos sintomas, reposição de líquidos e manutenção da atividade sanguínea. A pessoa deve se manter em repouso, beber muito líquido (inclusive soro caseiro) e só usar para aliviar as dores e a febre medicamentos prescritos por médicos. A recuperação da doença costuma ser total. É comum que ocorra durante alguns dias uma sensação de cansaço, que desaparece completamente com o tempo.

O combate ao mosquito deve ser feito acabando com os criadouros de larvas. Para tanto, não se deve deixar expostos à chuva objetos que possam acumular água. Os recipientes de água devem ser cuidadosamente limpos e tampados. Não adianta apenas trocar a água, pois os ovos do mosquito ficam aderidos às paredes dos recipientes.
                

O que deve ser feito em casa, escolas, creches e no trabalho é:

* Substituir a água dos vasos das plantas por terra e esvaziar o prato coletor, lavando-o com auxílio de uma escova;
* Utilizar água tratada com água sanitária para regar as plantas duas vezes por semana;
* Não deixar acumular água nas calhas do telhado;
* Não deixar expostos à chuva pneus velhos ou objetos que possam acumular água (latas, garrafas, cacos de vidro);
* Acondicionar o lixo domiciliar em sacos plásticos fechados ou latões com tampa;
* Tampar cuidadosamente caixas d’água, filtros, barris e tambores.

Em locais de maior ocorrência dessa doença, deve-se usar, sempre que possível, calças, camisas de manga comprida e repelente contra insetos. Pessoas que estiveram em área de risco para dengue e que apresentarem febre durante ou após a viagem devem procurar um Serviço de Saúde.
             

Fonte

José Cianci Filho – Médico do Trabalho da Drogasil S/A.
             

*****
             

Informações à imprensa

Máquina Comunicação Corporativa Integrada
Adriana Pedroso – (11) 3147-7456/ adriana.pedroso@maquina.inf.br
Camila Pedroso – (11) 3147-7929/ camila.duran@maquina.inf.br

                

Larissa Peruccini | Relações com a mídia
Máquina Public Relations
Tel.: 55 11 3147 7900 • Ramal 7485
Cel.: 55 11 5451 9271
Site: www.maquina.inf.br
Blog: blog.maquina.inf.br/
Twitter: twitter.com/GrupoMaquina

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.