Curso de Endometriose

“A modernidade expõe mais mulheres à endometriose”, explica o maior especialista brasileiro e pesquisador no assunto, Maurício Abrão
            

Estima-se que 10 a 15% das mulheres em idade reprodutiva sejam vítimas da endometriose. De acordo com o Dr. Maurício Simões Abrão, “A mulher moderna menstrua mais, o que acentua o risco de endometriose. Ela tem menos filhos e demora para engravidar. O estresse, fatores imunológicos e ambientais também fazem desta patologia, a doença da mulher moderna.”

No próximo dia 10 de março (sábado), das 8h às 12h, na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, o especialista Maurício Simões Abrão, considerado a maior autoridade brasileira e pesquisador no assunto estará em Porto Alegre, ao lado do radiologista e diretor da RDO Medicina, Manoel Gonçalves, no auditório do Centro de Pesquisa e Reprodução Humana Nilo Frantz (Av. Dr. Nilo Peçanha, 1221), para abordar as novidades no diagnóstico e tratamento da patologia.

A endometriose ocorre quando o endométrio é implantado fora do útero, o que gera um quadro inflamatório nas partes atingidas pelo tecido. Entre os sintomas da doença estão: fortes cólicas menstruais, infertilidade, dores durante a relação sexual e alteração urinária durante a menstruação. Os indícios podem ser descobertos durante diagnóstico clínico ou a partir de exames de imagem, como ultra-som e ressonância magnética.

Antigamente, a endometriose atingia mulheres entre 30 e 40 anos. Hoje, com a chegada precoce da puberdade, esta patologia já aparece em pessoas mais jovens. Mas por que a doença tem atingido tanto as mulheres modernas? Segundo o Presidente da Sociedade Brasileira de Endometriose, Maurício Abrão, uma das grandes causas é o fato delas menstruarem mais.

– Isso gera mais possibilidades do sangue voltar às cavidades uterinas e acentuar os riscos de endometriose. – comenta Abrão, um dos contemplados no prêmio trienal Rudolphe Maheux com estudo sobre endometriose.
          

“Pílulas combinadas são alternativas terapêuticas no tratamento da endometriose”. (Maurício Abrão)

As consultas regulares ao ginecologista permitem a paciente uma melhor prevenção e controle da endometriose. O diagnostico é feito com avaliação clínica. A doença, quando diagnosticada cedo, pode ser controlada com pílulas anticoncepcionais ou com outros métodos que fazem uso do hormônio progesterona. Em casos mais avançados, os especialistas chegam a utilizar métodos cirúrgicos.

– O procedimento cirúrgico mais indicado é a laparoscopia, pois ele permite visualizar os pontos afetados e neles fazer a intervenção necessária a partir de pequenas incisões abdominais. As pílulas combinadas ou o DIU (dispositivo intra-uterino) medicados com progesterona são alternativas terapêuticas para o tratamento da endometriose – explica o especialista Maurício Abrão.

Nos casos de infertilidade, o tratamento é direcionado na tentativa da mulher engravidar. Já na endometriose da cicatriz umbilical e da cicatriz cirúrgica, a simples retirada cirúrgica da lesão é suficiente.
    

Novos paradigmas

Dr. Maurício Abrão abordará temas, como os novos paradigmas na etiologia da endometriose, a nova classificação da endometriose e quais os critérios terapêuticos para pacientes com endometriose e infertilidade.

O curso tem vagas limitadas e as inscrições podem ser feitas pelo site www.nilofrantz.com.br.

Informações: (51) 3328-4680 e contato@nilofrantz.com.br.

Vagas limitadas.
           

Programação

Curso de Endometriose

Data: 10\03 (sábado)
Horário: das 8h às 12h
Local: Centro de Pesquisa e Reprodução Humana Nilo Frantz
Endereço: Av. Dr. Nilo Peçanha, 1221 – Sala de eventos – POA
Inscrições: pelo www.nilofrantz.com.br
Informações: (51) 3328-4680 e contato@nilofrantz.com.br 

Vagas gratuitas e limitadas
      

Palestrante

Maurício Simões Abrão
– Professor Associado pelo Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina da USP
– Presidente SBE – Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva
– Diretor do Centro de Reprodução Humana do Hospital Sírio-Libanês

Temas
– Novos paradigmas na etiologia da endometriose
– A nova classificação de endometriose
– Quais os critérios terapêuticos para pacientes com endometriose e infertilidade?
– Adenominose e Endometriose: doenças associadas?

Palestrante

Manoel Orlando Gonçalves
– Diretor da RDO Medicina Diagnóstica, Diretor da Digimagem Medicina Diagnóstica,
– Médico (1994-2006) e Coordenador (2000) do Serviço de Imagem do Laboratório Fleury,
– Especialista em Radiologia e Ultrassonografia pelo Colégio Brasileiro de Radiologia,
– Médico Assistente do Serviço de Radiologia do HC – FMUSP (1985-1995)

Temas
– Estado de arte no diagnóstico da endometriose por ultrassonografia e ressonância magnética
– Diagnóstico por imagem dos processos aderenciais e sítios menos frequentes de endometriose

*****
          

Vitrine de Notícias
Paula Oliveira de Sá
Jornalista (DRT/RS 8575)
(51) 9219-1986/(51) 3209-9327
paula@vitrinedenoticias.com.br
paulaoliveirasa@hotmail.com




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.