Trauma ocular – país ignora a prevenção

Só 5% dos brasileiros usam óculos de proteção em atividades de risco
Entre crianças, as lesões nos olhos predominam no período de férias
             

A OMS estima que no Brasil a principal causa de cegueira em um dos olhos são os traumas oculares. Em 90% dos casos o uso de óculos de proteção poderia prevenir a perda da visão. O problema é que só 5% dos brasileiros protegem os olhos em atividades de risco – esportes, laser, transporte, uso de equipamentos cortantes, máquinas, produtos químicos e explosivos. É o que mostra os prontuários de 1560 traumas oculares que foram atendidos em 2011 no Instituto Penido Burnier. De acordo com o Dr. Leôncio Queiroz Neto, 320 dos pacientes eram crianças e 234 (75%) feriram os olhos no período das férias.

Do total de pacientes, 35% tiveram os olhos atingidos por corpo estranho, 30% por contusões, 16% por queimadura química, 12% por perfuração causada por acidentes no trânsito e equipamentos cortantes e 7% por explosão de fogos e garrafas.

Dr. Queiroz Neto afirma que entre crianças a maior parte das contusões está associada à prática de esportes sem óculos de proteção.

Ele alerta que esfregar os olhos é um grave erro cometido pela maioria das pessoas que são atingidas por corpos estranhos. Isso porque, explica, o atrito pode arranhar a córnea mesmo quando se trata de um grão de areia. “A córnea ferida se transforma numa porta aberta para bactérias invadirem o olho e pode causar danos graves em apenas 24 horas”, afirma. A dica para eliminar pequenos detritos do olho é piscar repetidamente numa tentativa de fazer com que a lágrima os elimine. Caso permaneçam no olho a recomendação é passar por consulta com um oftalmologista imediatamente. “Depois de 18 horas a abrasão corneana  aumenta o risco de ocorrer infecção e úlcera na córnea”, afirma.
               

Primeiros socorros

Os cuidados recomendados pelo médico para evitar a piora dos danos causados por traumas são:

Evite tocar, pressionar ou esfregar os olhos, independente do tipo de lesão;

Em caso de perfuração, não tente lavar o olho ou retirar o objeto. Proteja o globo ocular apoiando a boca de um copo de papel na borda do osso ao redor do olho até receber atendimento médico;

Nas queimaduras químicas lave abundantemente o olho com água filtrada;

* Nas contusões, aplique uma compressa de água fria para reduzir a dor e o inchaço, sem pressionar o olho;

* Nas lesões por corpo estranho lave os olhos e pisque repetidamente;

Não utilize medicamentos ou receitas caseiras por conta própria;

* Em todos os traumatismos oculares faça uma avaliação com um oftalmologista nas primeiras horas após o acidente.
                

Risco maior para míopes

O especialista diz que pancadas na região dos olhos podem causar descolamento de retina. O risco é ainda maior para portadores de miopia. Isso porque, o alongamento axial do olho míope fragiliza a retina.  Trata-se de uma membrana localizada no fundo do olho que capta a luz e a transforma em impulso nervoso que é transmitido ao cérebro, onde as imagens são formadas.

Os sinais de descolamento são: enxergar pontos pretos dispersos que atrapalham a visão, flashes repentinos de luz ou uma ‘cortina’ de sombra sobre o campo de visão. Aos primeiros sinais desses sintomas a recomendação é procurar um especialista imediatamente. A demora em providenciar tratamento acarreta cegueira definitiva.
         

Dicas para escolher óculos de proteção e esportes

Dr. Queiroz Neto diz que tanto para crianças como para adultos os óculos de segurança ou para praticar esportes devem ter lentes inquebráveis de policarbonato. As lentes também devem ser resistentes a riscos e terem filtro ultravioleta (UV)  para as atividades e esportes praticados ao ar livre. Isso porque, destaca, até em dias nublados nossos olhos precisam de proteção. Lentes com filtro evitam o efeito cumulativo da radiação que provoca catarata, degeneração macular e fotoceratite. Para crianças, o médico diz que o ideal são as lentes incolores. Os adultos podem optar pelas lentes âmbar ou cinza que são mais confortáveis porque eliminam o excesso de brilho.

Para garantir o conforto e maior durabilidade dos óculos infantis ele acrescenta que as plaquetas de apoio nasal devem ser feitas de silicone e as dobradiças de mola para evitar a quebra das armações.
      

Fonte

Leôncio Queiroz Neto – Médico oftalmologista do Instituto Penido Burnier.
       

*****
       

Informações à imprensa

Eutrópia Turazzi
LDC Comunicação
eutropia@uol.com.br
F: (19) 3272-8784
Celular (19) 9172-4437




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.