Cardiotocografia – ouvindo o seu bebê

O bem-estar do bebê é a maior preocupação da mulher gestante. Saber se a criança está se desenvolvendo com saúde e vitalidade torna-se um dos maiores anseios dos pais durante o Pré Natal. Para isso, a tecnologia ajuda: o exame de cardiotocografia proporciona esse diagnóstico, além de representar um momento de forte emoção para toda a família.

O exame que capta os batimentos cardíacos do bebê acontece geralmente a partir do sétimo mês de gestação – nessa fase é possível ouvir com clareza os ruídos do pequeno. “O procedimento foi criado na década de 70 e é mundialmente aceito para investigar a frequência cardíaca fetal (FCF), registrar continuamente os movimentos do bebê e as contrações uterinas”, explica a médica Denise Gomes que sinaliza também que o exame pode conferir a oxigenação do feto, principalmente, nos casos de gravidez de risco.

O exame é de extrema importância já que com ele é possível “vigiar” o bebê dentro do útero. O trabalho pode ser realizado em dois momentos, tanto na gravidez (anteparto) quanto durante o trabalho de parto (intraparto). É também um excelente meio para prevenir o sofrimento fetal, analisar as condições de vida do bebê. Através dele, o médico saberá coordenar quais os caminhos a serem seguidos para manter a saúde do pequeno.
                 

Como funciona

A cardiotocografia é um procedimento rápido, indolor e não dura mais que trinta minutos para a realização completa, no período anteparto. “Nem mãe e nem criança correm riscos com o exame, podendo ser realizado por todas as gestantes sob recomendação médica “, explica a médica.

O exame é feito através do abdomen, onde são instalados dois transdutores – aparelhos de sensibilidade para captar sons e mudanças na pressão abdominal. Esses aparelhos emitem informações para um aparelho eletrônico chamado cardiotocógrafo, que digitaliza os dados da criança. Somente um especialista capacitado terá condições de decifrar os dados e assim repassá-los para a família.

Por meio do exame, os médicos conseguem observar irregularidades nos batimentos cardíacos fetais que, normalmente, variam entre 110 e 160 por minuto e verificar se estão fora do padrão. Espera-se que os batimentos fetais apresentem variações e nunca atinjam valores inferiores a 110.  “Reforço que no período de gestação, muitas mulheres sofrem transformações internas, sendo necessário esse acompanhamento mensal. O objetivo é ter uma gravidez tranqüila e cheia de saúde”, orienta a ginecologista.
         

Fonte

Denise Gomes – Médica Ginecologista e Obstetra.
www.plenaclinica.com.br
                

*****
            

Sacha Silveira Assessoria de Imprensa
MTB – 51.948
Tel – (11) 2626-9219/2532 7887/8949 3747
Endereço – Rua Pelotas, 349, Vila Mariana, São Paulo-SP
E-mail – sachasilveira@globomail.com

 

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.