Gestação gemelar – cuidados especiais

Com o avanço da tecnologia e a popularização dos tratamentos de fertilização artificial, é mais comum encontrarmos mulheres com gestação múltipla, que envolve dois ou mais fetos. Isso ocorre, por que na tentativa de obter sucesso no procedimento, médicos implantam mais de um embrião na cavidade uterina. A Gestação Gemelar, como é chamada, também pode ocorrer de maneira natural.

“Os gêmeos podem ser fraternos (dizigóticos) ou idênticos (monozigóticos). Os primeiros ocorrem por fecundação de dois óvulos e de espermatozóides diferentes, podendo os bebês serem do mesmo sexo ou não, e nunca idênticos”, explica o Dr. Eduardo Schor.

Histórico familiar, pendendo para o lado da mãe, multiparidade (várias gestações) e idade avançada são fatores que aumentam as chances de uma gestação gemelar ocorrer de forma natural.

Apesar de geralmente surpreender toda a família, a gestação gemelar requer cuidados especiais e muitas vezes podem ser consideradas uma gravidez de risco. “Isso ocorre porque a mulher que espera dois filhos ou mais ao mesmo tempo corre maiores riscos de ter anemia (pelo aumento da rede vascular e da síntese das células sanguíneas que levam ao esgotamento das reservas de ferro da mãe), DHEG (Doença Hipertensiva Específica da Gravidez), que é o aumento da pressão arterial, diabete gestacional (por causa da sobrecarga do metabolismo), prematuridade e descolamento prematuro de placenta (o que pode ocasionar perda fetal)”, explica o médico.

Outro detalhe que deve ser observado é a balança, pois o aumento de peso potencializa as doenças acima citadas. Acentua-se também os sintomas gerais de gravidez, como: náuseas, vômitos, inchaço, alteração na postura, dores na coluna, desconforto abdominal e pélvico.

“Além de todos os riscos durante a gravidez, temos de ficar atentos também ao nascimento da criança. Eles têm maiores chances de nascerem prematuros devido ao espaço uterino. Outra característica é o baixo peso dos bebês, mais temido ainda em uma gestação múltipla”, explica o médico.

A duração média da gestação gemelar é de 37 semanas, contra as 40 nas gestações únicas, representando grande proporção de prematuros em berçário.

Para amenizar os riscos, os médicos aconselham a gestante descansar. Dependendo da situação, o médico pode recomendar repouso absoluto. Todos estes riscos, porém, não significam obrigatoriamente que uma gravidez gemelar seja mais difícil. Muitas mulheres nestas condições conseguem ter uma gestação tranquila. Uma boa alimentação, controle do peso e o acompanhamento pré natal adequado auxiliam nesse processo.
      

Fonte

Eduardo Schor – Médico ginecologista, Diretor Científico da Clinica GERA de Reprodução Assistida.
www.endometriose.med.br
      

*****
     

Sacha Silveira Assessoria de Imprensa
MTB – 51.948
Tel – (11) 2626-9219/2532 7887/8949 3747
Endereço – Rua Pelotas, 349, Vila Mariana, São Paulo-SP
E-mail – sachasilveira@globomail.com




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.