TDAH pode causar prejuízos na vida adulta

O TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) é uma desordem que, entre outros problemas, acomete as habilidades de aprendizagem e convívio social. Isso porque na infância causa, em diferentes graus, constante inquietude e falta de atenção que não correspondem ao desenvolvimento esperado para a idade. São as crianças que, muitas vezes tachadas como “pestinhas” ou “avoadas”, apresentam estes comportamentos em mais de dois ambientes de forma que eles tragam prejuízos para seu dia a dia, para seu convívio social e até mesmo familiar, por exemplo.

Por isso, é importante que o diagnóstico seja feito ainda na infância, quando a criança está formando o seu ciclo social e sendo alfabetizada. “A criança com TDAH que não recebe o diagnóstico e tratamento ainda na infância, em muitos casos, tem maior dificuldade de aprendizagem e problemas de relacionamento com os colegas de classe e parentes. Isso pode trazer consequências na vida adulta como a dificuldade de entrada no mercado de trabalho e de iniciar e manter relacionamentos afetivos”, explica Dr. Erasmo Barbante Casella.

O especialista completa: “Imagine uma pessoa que não consegue ficar quieta ou prestar atenção? Uma reunião é uma tortura. Uma prova no colégio é motivo de desespero. Durante toda sua vida viu os seus colegas se formando, iniciando relacionamentos e entrando para o mercado de trabalho. Daí ele olha para si e percebe que ficou para trás ou ainda está no mesmo nível que os outros, mas a muito custo, com inúmeras dificuldades, que poderiam não existir se tivesse sido diagnosticado e adequadamente tratado ainda na infância”.
                            

Diagnóstico

O diagnóstico do TDAH deve ser feito por um médico especialista, geralmente neurologista, psiquiatra ou pediatra especializado na área de desenvolvimento que por meio de entrevista, observação e aplicação de questionário específico com 18 pontos (padrão adotado da DSM-IV-TR) poderá confirmar o diagnóstico clínico.
                       

Tratamento

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade não tem cura, porém o portador pode viver normalmente, com qualidade de vida, se fizer o tratamento corretamente.  É importante ressaltar que o tratamento do TDAH pode ser multimodal quando indicado. Ou seja, se necessário, melhores resultados podem ser obtidos quando a adequada medicação é associada à psicoterapia e outras terapias que podem ser necessárias, como: fonoaudiológica, ocupacional, pedagógica, etc.
                      

Fonte

Erasmo Barbante Casella – Médico Neurologista da Infância e Adolescência Responsável pelo Ambulatório de Distúrbios do Aprendizado do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas – CRM 41485.
         

                     

Sobre a Shire

Especialista em biofarmácia e líder mundial no tratamento de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), a Shire é uma empresa anglo-americana de presença global, dividida em duas unidades de negócios no Brasil: Specialty Pharmaceuticals e Human Genetic Therapies (HGT).  A atuação está concentrada nos tratamentos para o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade, doenças gastrointestinais, renais e genéticas. É a 3ª maior indústria farmacêutica da Inglaterra e uma das biofarmacêuticas que mais crescem no mundo. “Somos inspirados pela vida, motivados pela coragem”.

Para mais informações sobre a Shire, acesse o site www.shire.com.br ou www.shire.com
           

Fonte utilizada

Site da ABDA (Associação Brasileira do Déficit de Atenção) http://www.tdah.org.br/br/sobre-tdah/tratamento.html.
           

*****
              

Informações para a Imprensa

Fundamento Comunicação Corporativa
Guilherme Dorini – gdorini@fundamento.com.br – (11) 5095-3892
Roberto Nunes – rnunes@fundamento.com.br – (11) 5095-3871

   




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.