Náusea – mitos e verdades

Especialista esclarece as principais questões sobre esse mal-estar que, apesar de simples, causa muitas dúvidas na população
                 

Por definição, a náusea – também chamada de enjoo – é a sensação de desconforto no estômago. De origem física ou psicológica, ela pode servir como alerta sobre nossa saúde em qualquer fase da vida. Pessoas que sofrem desse desconforto têm comprometidos seu bem-estar e, às vezes, sua produtividade.

O médico otoneurologista do Departamento de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas de São Paulo, Dr. Ítalo Roberto Torres de Medeiros, afirma que a sensação de movimento pode desencadear náusea e vômito, causados pelo conflito das informações enviadas ao cérebro por meio da visão e do labirinto. O cérebro tem dificuldade para assimilar quais são as informações corretas, provocando os sintomas de náusea. “Quanto mais intenso e frequente for o movimento, maior a chance de apresentar algum tipo de mal-estar”, o especialista complementa.
          

Descubra alguns mitos e verdades sobre a náusea

1. Beber refrigerante alivia a sensação de náusea.

Mito – Na realidade, as bebidas gasosas aumentam a sensação de estômago cheio e estufado, podendo até piorar a náusea.

2. Bebês não sofrem de náusea causada pelo movimento.

Verdade – Crianças recém-nascidas ainda não desenvolveram o sentido da visão completamente, por isso, não sofrem com o conflito das informações enviadas ao cérebro. Após os dois anos de idade, quando os sentidos da visão estão desenvolvidos, o pico de prevalência de cinetose está entre 4 e 10 anos.
      

3. Medicamentos demoram para agir no organismo e não podem ser ingeridos por gestantes ou crianças.

Mito – Atualmente os medicamentos à base de dimenidrinato começam a agir no organismo 15 minutos após a ingestão. Essa substância atua no sistema vestibular, que é o responsável pelo equilíbrio, e também na origem do vômito, inibindo náusea e vômitos. Esse princípio ativo é seguro para gestantes e crianças.
              

4. Durante a gravidez, o enjoo é sinal de que o bebê será do sexo feminino.

Mito – A náusea na gravidez é causado pelo hormônio B-HCG, que é responsável pela implantação do saco gestacional no útero e afeta cerca de 70% das gestantes. Ele também pode ser influenciado pela alimentação, não tendo nenhuma ligação com o sexo da criança.
                               

5. Náusea de movimento pode ocorrer ao desembarcar de navios.

Verdade – Ao desembarcar, o corpo fica confuso com as informações enviadas ao cérebro por meio da visão e do labirinto. O cérebro não consegue assimilar quais informações estão corretas, dando origem à náusea.
     

6. Durante a gestação, pequenas porções de alimentos podem aliviar náusea.

Verdade – Cerca de 80% das gestantes sofrem de náusea durante a gestação. Para aliviá-lo, recomenda-se a ingestão de pequenas porções de alimento a cada três horas.
              

7. Cinetose é mais comum na infância.

Verdade – A cinetose atinge 70% das crianças a partir dos dois anos de idade. A náusea de movimento é mais frequente em mulheres, principalmente durante o período menstrual e na gravidez. Pessoas idosas sofrem menos com cinetose.
                

Fonte

Ítalo Roberto Torres de Medeiros – Médico otoneurologista do Departamento de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas de São Paulo.

        

Informações sobre a Takeda

Sediada em Osaka, Japão, a Takeda é uma companhia global orientada para pesquisas, com foco principal em produtos farmacêuticos. Na qualidade de maior companhia farmacêutica do Japão e por ser uma das líderes globais da indústria farmacêutica, a Takeda se compromete a trabalhar para melhorar a saúde dos pacientes de todo o mundo por meio de inovação de vanguarda na área médica.

Há informações adicionais sobre a Takeda no site corporativo da empresa www.takeda.com

      

*****
         

Contato

Burson-Marsteller Brasil
Natália Fernandes – natalia.fernandes@bm.com
Renata Mendes – renata.mendes@bm.com
Érica Sato – erica.sato@bm.com 
Fabiana Delgado – fabiana.delgado@bm.com 
Tel +55 11 3094 2247

 

 

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.