Adolescência – orientação sobre o uso de anticoncepcionais nessa fase da vida é fundamental para o planejamento familiar e a prevenção de doenças

Apesar de toda a informação disponível sobre métodos contraceptivos, ainda há muito por fazer. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 16 milhões de adolescentes se tornam mães a cada ano¹. No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, a quantidade de partos realizados em meninas entre os 10 e 19 anos caiu 22,4% de 2005 a 2009. Mas ainda assim, só em 2009, mais de 440 mil adolescentes deram a luz². Para evitar uma gravidez inesperada é importante que a garota seja encaminhada ao ginecologista e receba orientações desde cedo.

De acordo com o Dr. Marco Aurélio Galletta, a adolescente deve iniciar suas consultas com um ginecologista logo após a primeira menstruação. “Nesta fase surgem diversos questionamentos, inseguranças e, muitas vezes, é quando as garotas iniciam sua vida sexual”. As consultas seguintes devem acontecer anualmente, para acompanhamento, mas também podem ser agendadas antes, quando houver a necessidade de explicações sobre sexualidade ou surgir algum incômodo. “É importante que a jovem tenha confiança neste especialista, o questione e permita que ele esclareça suas dúvidas, tais como o significado da menstruação, fecundidade, doenças sexualmente transmissíveis e a oriente sobre os diferentes métodos anticoncepcionais”.

O especialista alerta para outro fato alarmante: muitas meninas não usam métodos anticoncepcionais por pura inconsequência. E muitas, quando utilizam, optam pelos métodos prescritos pelo médico de uma amiga, segundo o que presencia no consultório. O ideal é que a adolescente procure um ginecologista antes de iniciar sua vida sexual. Este especialista vai verificar como está a sua saúde, prescrever o contraceptivo mais apropriado e explicar sobre a importância da prática do sexo seguro, livre de doenças com o uso frequente de preservativos, evitando também uma gravidez não programada.

E opções de contraceptivo não faltam. “Com baixas dosagens hormonais, menos agressiva ao organismo e com pouco ou nenhum efeito colateral, a pílula é a mais indicada para essa fase da vida. Além de proteger contra uma gravidez indesejada, a pílula regulariza o ciclo menstrual, diminui as cólicas, a acne e a TPM, muito comuns na adolescência”, conclui o especialista.

Existem diversas opções de pílulas anticoncepcionais no mercado, entre elas: Minesse (gestodeno, etinilestradiol) – contraceptivo oral com ultra-baixa dosagem de estrogênios; Harmonet (gestodeno, etinilestradiol) – pílula com baixa dosagem de estrogênios e Nordette (levonorgestrel, etinilestradiol) – contraceptivo oral, cuja combinação de hormônios é comprovadamente mais segura para evitar a trombose, de acordo com estudos comparativos publicados no British Medical Journal (BMJ)³, 4.

Para garantir sua eficácia, é importante que a pílula seja tomada diariamente, sem esquecimentos, preferencialmente sempre no mesmo horário. “A pílula anticoncepcional deve ser tomada com responsabilidade e pode ser usada desde a menarca – primeira menstruação – oferecendo proteção e a oportunidade da adolescente planejar seu futuro”, esclarece Dr. Galletta.
             

Fonte

Marco Aurélio Galletta – Responsável pelo Setor de Gravidez na Adolescência da Clínica Obstétrica do Hospital das Clínicas da FMUSP; Diretor e Fundador da Sociedade Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia da Infância e Adolescência (SOGIA-BR); Docente da Disciplina de Atenção Primária à Saúde da Faculdade de Medicina da USP.

          

 Referências

1. http://www.who.int/mediacentre/multimedia/podcasts/2009/teenage-pregnancy-20090213/en/

2.http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfm?pg=dspDetalheNoticia&id_area=124&CO_NOTICIA=11137

3. Lidegaard O, Lokkegaard E, Svendsen AL, Agger C. Hormonal contraception and risk of venous thromboembolism: national followup study. BMJ 2009;339:b2890

4.11 VanHylckama Vlieg A, Helmerhorst FM, Vandenbroucke JP, Doggen CJM, Rosendaal FR. The venous thrombotic risk of oral contraceptives, effects of oestrogen dose and progestogen type: results of the MEGA case-control study. BMJ 2009;339:b2921

                 

Pfizer

Fundada em 1849, a Pfizer é uma das mais completas e diversificadas companhias do setor farmacêutico. Presente em mais de 150 países, a empresa está no Brasil desde 1952. Melhorar a saúde e proporcionar bem-estar fazem parte da missão da Pfizer ao descobrir, desenvolver, fabricar e comercializar medicamentos de prescrição, genéricos e de consumo para Saúde Humana e Animal. A Pfizer também mantém e acompanha projetos sociais voltados para educação, saúde e sustentabilidade no país.
               

*****


           
                

Mariana Branco
mariana.branco@cdn.com.br
 55 11 3643-2729
 www.cdn.com




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.