Vitamina D – pesquisas e descobertas

Muito se tem divulgado a respeito dos benefícios da vitamina D no corpo humano. Pesquisas realizadas em todo o mundo apontam que o consumo da vitamina pode diminuir os riscos de hipertensão e de falha na memória, além de proteger contra doenças como câncer, diabetes e artrites. Ainda se tem muito a descobrir sobre o verdadeiro potencial dessa substância no nosso organismo. Mas enquanto a ciência se desenvolve, a vitamina D já é um dos testes mais solicitados na Europa e  nos Estados Unidos.

A vitamina D faz parte do grupo dos pró-hormônios e é derivada do colesterol. Existe em nosso organismo sob duas formas: a vitamina D2 e a vitamina D3. Sua ação biológica mais importante é promover a absorção de cálcio no corpo. Por isso, as deficiências de vitamina D e de cálcio estão intimamente ligadas e podem provocar enfraquecimento e fratura dos ossos.

É por meio do exame de análises clínicas do sangue que se descobre qual o nível de vitamina D no corpo. Ainda não existe um consenso sobre qual o valor de normalidade da dosagem da vitamina no sangue. Mas sabe-se, com certeza, que a principal fonte de vitamina D é o sol. Cerca de 80% a 100% da vitamina absorvida por nosso organismo vem da exposição ao sol e não dos alimentos – mesmo assim, vale lembrar que alguns deles são naturalmente ricos em vitamina D, como leite, ovos, manteiga e peixes.

 Apesar de a principal fonte de vitamina D ser simples e de fácil acesso – o sol -, o brasileiro tem deficiência dessa substância, segundo revelou uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deste ano. Alguns motivos explicam essa carência, como os hábitos culturais do mundo moderno. Cada vez menos praticamos exercício ao ar livre e cada vez mais utilizamos protetor solar para sair de casa. Além disso, a obtenção da vitamina D pelo corpo depende de alguns fatores como idade, pigmentação da pele, roupas utilizadas, poluição do ar, obesidade e estação do ano.

Diante desse cenário, a suplementação é muitas vezes recomendada como o melhor remédio em caso de déficit de vitamina D. A ciência tem feito descobertas incríveis, mas é preciso ter cuidado: a ingestão de suplementos só deve ser feita com orientação médica.
                  

Fonte

Flávia Segatto – Patologista clínica do Exame e do Pasteur Medicina Diagnóstica.
                         

*****
          

Flávia Lima
Imagem Corporativa
www.imagemcorporativa.com.br
www.twitter.com./icdigital
Tel: (55 61) 3039-8101 / 3039-8102
Cel: (55 61) 8178-8916




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.