Alimentação saudável pode ajudar na prevenção do câncer

Hoje em dia não se fala em outra coisa: alimentação saudável.  Mas como a alimentação pode contribuir ou não para o desenvolvimento de um câncer? Quais são os tipos de alimentos que oferecem maior risco para o desenvolvimento de células cancerosas? Essas e muitas outras perguntas foram respondidas pela Dra. Fernanda Schettino Cerqueira.

1. Como a alimentação pode contribuir ou não para o desenvolvimento de um câncer?

Primeiramente, no aspecto da obesidade. Pessoas acima do peso ideal são mais propensas a desenvolverem câncer, principalmente o câncer de mama.

Além disso, alguns estudos demonstram que indivíduos que ingerem mais vegetais (fibras, vitaminas e sais mineirais) apresentam menor probabilidade de desenvolver a doença, principalmente o câncer de intestino. Sabe-se hoje que determinados nutrientes apresentam um papel protetor quanto ao câncer de um modo geral (licopenos, betacarotenos entre outros….). Por outro lado, devemos ressaltar o problema dos excessos: embutidos, churrasco, alimentos conservados no sal e alimentos defumados, que devem ser usados com moderação. Isso porque alguns estudos demonstram que em populações onde a ingestão desses alimentos é muito grande, a incidência de câncer também é elevada.
                     

2. Quais são os tipos de câncer que podem ser associados a uma má alimentação?

Principalmente: mama, estômago e intestinos.
      

3. É possível dizer que uma alimentação saudável possa prevenir o câncer? Essa iniciativa também ajuda na prevenção do câncer em pessoas que já tenham casos da doença na família?

Sim. Colorir o prato é a ordem quando se quer investir na saúde. Isso porque, ao selecionar alimentos com diferentes colorações, aumentam as chances de que se reúna um número maior de nutrientes variados. Não existe mistério nenhum nisso e as recomendações são simples:

1. Coma de tudo um pouco; ou seja: coma com moderação;
2. Ingerir cerca de 3 frutas diferentes ao longo do dia;
3. Um vegetal verde-escuro pelo menos uma vez ao dia;
4. Coma menos carne vermelha e acrescente o peixe ao seu cardápio duas vezes na semana;
5. Diminua sucos açucarados e industrializados e dê preferência ao suco natural e beba água adequadamente;
6. Limitar o consumo de sal;
7. Limitar o consumo de bebidas alcoólicas;
8. A amamentação ajuda a prevenir o câncer de mama na mulher e ajuda a prevenir a obesidade no bebê amamentado.
          

4. Quais são os tipos de alimentos que oferecem maior risco para o desenvolvimento de células cancerosas? Para evitar essa multiplicação é preciso cortar completamente esses produtos da alimentação?

A questão é evitar o aparecimento e não o desenvolvimento (multiplicação) das células cancerosas. Estamos falando de duas coisas diferentes: uma é prevenção, outra é tratamento.

No aspecto da prevenção, voltamos a falar em evitar excessos: embutidos, álcool,churrasco, alimentos conservados no sal, etc.

Uma vez que a doença é diagnosticada, o tratamento deve ser aquele orientado pelo médico oncologista. Na fase do tratamento, o suporte nutricional vai atuar em conjunto com o tratamento oncológico- vai beneficiar o paciente de diversas maneiras (menos infecções, menos complicações operatórias, menor necessidade de internação hospitalar….).
                   

5. Quais são os hábitos alimentares dos brasileiros? O padrão alimentar do brasileiro é o ideal?

No Brasil, o consumo de alimentos que contêm fatores de proteção está abaixo do recomendado em diversas regiões do país. De acordo com uma pesquisa do Ministério da Saúde, que em 2010 entrevistou 54.367 pessoas, o padrão alimentar no país mudou para pior:

1. Muita carne gordurosa
2. Comidas semiprontas
3. Baixa ingestão de fibras
4. Diminuição na ingestão do feijão
5. Maior ingestão de refrigerantes e sucos artificiais
                   

6. É possível reverter os danos/riscos de uma má alimentação depois de muitos anos, apenas mudando os hábitos alimentares?

Sempre é tempo de buscar a saúde e cuidar de si mesmo. É importante mudar não só hábitos alimentares, mas, também, adotar hábitos saudáveis. Praticar exercícios regularmente e abandonar o cigarro são fundamentais para quem quer investir na própria saúde.

Uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que um quarto dos casos de câncer de mama e de cólon poderia ser evitado se os pacientes tivessem o costume de praticar uma hora e meia de atividades físicas por semana.  O quadro é preocupante quando se analisam os dados sobre sedentarismo em todo o mundo: segundo números da entidade, pelo menos um terço da população mundial é sedentária e 3,2 milhões de mortes causadas por câncer de mama ou de cólon anualmente estão ligadas à falta de exercícios físicos.
              

Fonte

Fernanda Schettino Cerqueira – Médica nutróloga da Oncomed Belo Horizonte.

Oncomed – Centro de Prevenção e Tratamento de Doenças Neoplásicas
Funcionamento: segunda à sexta-feira, de 8h às 20h
Rua Bernardo Guimarães, 3106 – Barro Preto
Belo Horizonte – MG
www.oncomedbh.com.br
                 

*****
              

Juliana Morato
Link Comunicação Empresarial
Assessora de Comunicação
juliana.morato@linkcomunicacao.com.br

(31) 2126-8072 / (31) 9815-5467




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.