Incontinência urinária – prevenção e tratamento

Mesmo não sendo uma doença, a incontinência urinária é um sintoma de que existe algum problema com o funcionamento do trato urinário inferior.

Algumas causas possíveis de incontinência são:

* Infecção urinária ou vaginal;
* Efeito colateral de medicamentos;
* Constipação intestinal;
* Fraqueza de certos músculos da região pélvica;
* Obstrução da uretra por aumento da próstata (nos homens);
* Doenças envolvendo nervos e/ou músculos, consequência de algumas cirurgias.

A incontinência urinária é uma condição que pode ser prevenida e curada, “Pequenas mudanças comportamentais possibilitam a prevenção e melhor qualidade de vida”, explica a Dra. Denise Gomes.
                         

Dicas para prevenir a incontinência urinária

* Atividade física – Ajuda a reduzir as perdas, mas é importante fazer os exercícios corretamente e sob orientação especializada;

* Não deixe de beber líquidos – Reduzir a absorção de líquidos abaixo dos níveis normais aprovados pelo seu médico pode conduzir à desidratação, com a complicação dos problemas urinários e possível aparecimento de uma doença grave, como a infecção urinária;

* Mantenha o intestino livre – A prisão de ventre pode contribuir para a incontinência. Tenha uma dieta rica em fibras e não se esqueça de ingerir quantidades adequadas de liquidos para o seu intestino trabalhar regularmente;

* Evite fumar – A nicotina irrita a superficie da bexiga. E se você tem a incontinência do estresse, a tosse pode forçar a perda de urina.
              

Para quem já tem o problema, a incontinência urinária é tratável por métodos clínicos ou cirurgicos. É importante reconhecer qual o tipo da incontinência para adequar o tratamento.
              

Sintomas

* Incontinência urinária de esforço – O sintoma inicial é a perda de urina quando a pessoa tosse, ri, faz exercício, movimenta-se. Essa perda torna-se progressiva com o tempo, ou seja, esforços cada vez menores já podem gerar o problema;

* Incontinência urinaria de urgência – Mais grave do que a de esforço, caracteriza-se pela vontade súbita de urinar que ocorre em meio às atividades diárias e a pessoa perde urina antes de chegar ao banheiro;

* Incontinência mista – Associa os dois tipos de incontinência acima citados e o sintoma mais importante é a impossibilidade de controlar a perda de urina pela uretra.
                         

O tratamento da incontinência urinária por esforço deve começar por mudanças de hábitos e exercícios perineais, com o intuito de reforçar a musculatura do assoalho pélvico. Quando não se obtém melhoras significativas, a indicação é para tratamento cirúrgico.

Atualmente, a cirurgia de Sling, em que se coloca um suporte para restabelecer e reforçar os ligamentos que sustentam a uretra e promover seu fechamento durante o esforço, é a técnica mais utilizada e a que produz melhores resultados.

Para a incontinência urinária de urgência, o tratamento é farmacológico e fisioterápico. O farmacológico pressupõe o uso ininterrupto de várias drogas que contêm substâncias anticolinérgicas para evitar a contração vesical. Esses remédios provocam efeitos colaterais, como boca seca e rubor facial.
                           

Fonte

Denise Gomes – Médica ginecologista e obstetra.
www.plenaclinica.com.br 
                 

*****
                

Sacha Silveira Assessoria de Imprensa
MTB – 51.948
Tel – (11) 2626-9219/2532 7887/8949 3747
Endereço – Rua Pelotas, 349, Vila Mariana, São Paulo-SP
E-mail – sachasilveira@globomail.com




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.