A picadinha que pode salvar

Exame de sangue é a forma mais eficaz de verificar os níveis de colesterol
                                

Não adianta ter medo de agulha, afinal, somente o exame de sangue, que pode ser feito com uma picadinha no braço ou no dedo, revelará a presença de gorduras indesejadas na corrente sanguínea, já que o colesterol elevado não apresenta sintomas. Rápido e altamente confiável, o exame laboratorial, chamado de ‘perfil lipídico’, necessita de 12 horas de jejum para ser realizado. “Recomenda-se evitar excessos alimentares, consumo de álcool e atividades fora de sua rotina comum, durante os três dias que antecedem esse procedimento”, explica a Dra. Tânia Martinez.

Menos invasiva e ainda mais ágil, a ‘punção digital’, exame que analisa apenas uma gotinha de sangue, é ideal para avaliar o colesterol da população, técnica normalmente utilizada em grandes campanhas e ações.

O objetivo do exame de sangue é analisar, além do nível de colesterol total no organismo, índices de LDL (lipoproteínas de baixa densidade), popularmente conhecido como “colesterol ruim”, de HDL (lipoproteínas de alta densidade), o “colesterol bom” e triglicérides.
                 

Segundo a Dra. Tânia, adultos saudáveis devem apresentar os seguintes índices

Néveis saudáveis de colesterol e triglicérides

* Colesterol Total = Até 200 mg/dl

* LDL (ruim) = Menor que 130 mg/dl

* HDL (bom) = Homens: acima de 40 mg/dl
                               Mulheres: acima de 45 mg/dl

* Triglicérides = Até 150 mg/dl
                

 De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), as doenças cardiovasculares ocupam, no Brasil, o primeiro lugar entre as causas de mortalidade. E o colesterol elevado é um dos principais fatores responsáveis pelo desenvolvimento das doenças cardiovasculares.
          

Prevenção

A prevenção do colesterol e a conquista de uma vida saudável estão diretamente ligadas a consultas rotineiras, boa alimentação e a prática de exercícios físicos regulares.

“Consultar-se anualmente com um cardiologista aumenta as chances do diagnóstico precoce, reduzindo a ocorrência de doenças graves e acelerando o início do tratamento” explica.

Uma dieta equilibrada, com pouco sal, rica em frutas, verduras, legumes, fibras e com restrição de gorduras é fundamental para evitar a pressão alta e o colesterol elevado. 

Se exercitar não é uma tarefa tão difícil quanto parece e ajuda muito na prevenção das doenças cardíacas. “Praticar atividades físicas moderadas por 30 minutos, de três a seis dias por semana, reduz o risco de infarto em mais de 50%, pois contribui para diminuir o LDL (colesterol ruim) e aumentar o HDL c (colesterol bom)”, afirma.

“Pacientes com leve sobrepeso, cujo colesterol não é genético, normalmente tem uma melhora de 10% a 15% nos níveis do colesterol, a partir do segundo quilograma emagrecido”, complementa a especialista.
            

Queimar calorias e manter o corpo saudável é possível com atividades simples, que já fazem parte da nossa rotina.

=> Atividade com duração de uma hora/Calorias queimadas¹/Resultados

* Lavagem do carro – 218 calorias/Flexão, alongamento e fortalecimento muscular;

* Caminhada lenta – 248 calorias/Condicionamento físico, redução da pressão arterial e do exercício cardiovascular;

* Trabalhos domésticos leves – 188 calorias/Melhoria do sistema cardiovascular e aumento do tônus ​​muscular;

* Yoga – 188 calorias/Redução do estresse, diminuição da pressão arterial, tonificação e flexibilidade muscular;

* Dança – 338 calorias/Melhoria da pressão arterial e da coordenação motora.

Fonte: http://morethanmedication.ca
1. Baseado em um adulto com 74,8 kg
         

Tratamento

“Nem sempre uma dieta saudável e a prática de exercícios são o suficiente para diminuir o colesterol a níveis saudáveis. Nesses casos, o cardiologista recomendará o tratamento mais adequado ao perfil de cada paciente” esclarece a especialista.

Descoberta por acaso, a classe das estatinas inaugurou uma nova era na prevenção e no tratamento do colesterol elevado. O microbiologista Akira Endo pesquisava um novo antibiótico e acabou descobrindo a estatina, lançada em 1987. A partir daí se deu o aprimoramento e lançamento de novas estatinas, mais potentes, como a atorvastatina), em 1998. Há 13 anos no mercado, a atorvastatina é a estatina com o maior número de evidências científicas, que comprovam seus efeitos na redução significativa do risco de eventos cardiovasculares e na diminuição em 39% a 60% dos níveis do colesterol ruim (LDL).
              

Fonte

Tânia Martinez – Professora Livre Docente, médica colaboradora do setor de lípides, docente de pós-graduação do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade Medicina da Universidade de São Paulo (InCor-HCFMUSP) e ex-presidente do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).
             

         

Pfizer

Considerada uma das empresas mais diversificadas do setor farmacêutico, a Pfizer descobre, desenvolve, fabrica e comercializa medicamentos de prescrição e de consumo para Saúde Humana e Animal. A companhia oferece opções terapêuticas para uma variedade de doenças em todas as etapas da vida, com um portfólio que engloba desde vitaminas para gestantes e vacinas para bebês, até medicamentos para doenças complexas, como dor, câncer, tabagismo, infecções e doença de Alzheimer.

Fundada em 1849 e instalada no Brasil desde 1952, a Pfizer é a indústria que mais investe em pesquisa e desenvolvimento de novos medicamentos, a partir de parcerias com profissionais de saúde, hospitais, governos e comunidades em todo o mundo. A companhia também mantém e acompanha projetos sociais voltados para educação e saúde no país.
                           

*****
                    

 
           

Thais Coimbra
thais.coimbra@cdn.com.br
(11) 3643-2954
www.cdn.com.br

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.