Bicicleta e doenças respiratórias – pedale com saúde

Acompanhamento médico é fundamental para indivíduos com problemas respiratórios que desejam praticar qualquer tipo de exercício físico
                      

Caminhar pelo bairro, correr, nadar, dançar ou até mesmo passear com o cachorro podem trazer uma série de benefícios à saúde em geral. Andar de bicicleta não foge à regra, requer os mesmos cuidados que outras atividades aeróbicas e, ao contrário do que muitos pensam, portadores de doenças respiratórias também estão liberados para tal prática, contanto que sigam a orientação de médico pneumologista.

Segundo o Dr. André Albuquerque, o benefício que andar de bicicleta aplica à saúde se deve ao trabalho conjunto do pulmão e outros membros.

“Quando uma pessoa pratica atividade física, seu pulmão acaba se expandindo durante o exercício devido à ventilação, o que é muito bom para respirar melhor. Além disso, os sistemas respiratório, cardiovascular e muscular periférico acabam interagindo melhor entre si, proporcionando uma melhora direta na saúde do indivíduo”, afirma.
                     

Dicas

Andar de bicicleta pode ser muito prazeroso, porém alguns cuidados devem ser tomados, em especial por indivíduos com problemas respiratórios. Em primeiro lugar, é necessário que se procure o acompanhamento de um médico pneumologista, pois caso a doença não esteja bem controlada, pode haver uma sobrecarga ventilatória durante a realização da atividade.

“Tal sobrecarga se reflete em um desconforto. A pessoa fica mais cansada e com falta de ar, mas acha que o motivo vem apenas do esforço que está sendo feito, o que pode não ser. Na verdade, a consequência do mal estar é justamente a doença respiratória que não está sob controle”, explica Dr. André.

Após uma consulta ao especialista, será determinada a carga do treino a ser feita, de modo que não seja pouca ou em excesso. Conforme Dr. André, alguns indivíduos também podem ter problemas quanto ao ambiente da prática de atividade física, como ao ar livre, em locais poluídos, que, sempre que possível, devem ser evitados por todos.

“Um nadador com problemas em relação ao cloro não pode ficar exposto a piscinas que contém a substância, por exemplo. Deve-se ficar bastante atento ao lugar escolhido. Isto vale também para quem utiliza bicicletas ergométricas em ambientes fechados. Caso o ar-condicionado esteja ligado, pode ser extremamente prejudicial à saúde”.
                 

Reabilitação cardiopulmonar

A prática de exercício físico é altamente recomendada a pacientes com asma, bronquite ou enfisema; é a chamada reabilitação cardiopulmonar. O ideal é incluir sempre uma série de exercícios aeróbicos, entre eles a prática da bicicleta, esteira ou a natação. Assim, a bicicleta poderia ser uma modalidade que atua justamente neste componente aeróbico, ajudando na recuperação do indivíduo.

“No decorrer do programa indicado, o paciente deve reportar ao médico caso note algum sintoma, porém, com tudo controlado, a pessoa está liberada para realizar atividades físicas regularmente e pelo maior tempo possível. Lembrando também que, com tratamento e controle, qualquer tipo de problema pode se reverter”, finaliza Dr. André.
                          

Fonte

André Albuquerque – Médico responsável pelo Laboratório de Função Pulmonar do Hospital Sírio Libanês e membro da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT).
                               

*****
                    

Informações para a imprensa

Acontece Comunicação e NotíciasMonica Kulcsar ou Juliana Martins
(11) 3873-6083 / 3871-2331
acontececom3@acontecenoticias.com.br
www.acontecenoticias.com.br

 

 




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.