Doenças cardiovasculares elevam risco de perda visual

80% das doenças cardiovasculares estão associadas a alterações metabólicas que podem provocar graves distúrbios nos olhos
                  

A falta de tratamento adequado das doenças cardiovasculares está relacionada a deficiências visuais graves, decorrentes de alterações na retina.

O problema é que uma parcela importante da população brasileira não tem acesso ao tratamento necessário. Pesquisa da OMS (Organização Mundial da Saúde) revela que no Brasil 33% das mortes são decorrentes das doenças cardiovasculares. O mesmo estudo mostra que 80% dos distúrbios do coração e vasos sanguíneos estão relacionados às alterações metabólicos: diabetes, hipertensão, trombose (oclusão vascular), e colesterol alto. Estas alterações provocam respectivamente –  retinopatia diabética, retinopatia hipertensiva e degeneração macular – importantes causas de perda definitiva da visão.

Para o Dr. Leôncio Queiroz Neto, a pesquisa demonstra que existe uma carência de políticas públicas que incentivem a população a passar por  check-ups médicos periódicos. Só para se ter uma ideia, o especialista diz que a maioria dos brasileiros busca por consulta oftalmológica só quando vai renovar a carta de habilitação.  Não por acaso, um levantamento da OMS mostra que 43% das deficiências visuais estão relacionadas à falta de correção dos erros refrativos – miopia, hipermetropia e astigmatismo.

O médico destaca que metade dos portadores de glaucoma no Brasil  não sabe que tem a doença. Por isso, só chegam à primeira consulta quando já perderam mais de 40% das células da camada de fibras nervosas da retina e parte do campo visual que é irrecuperável.

Prevenção

Dr. Queiroz Neto afirma que tanto as alterações cardiovasculares como as retinianas progridem sem apresentar sintomas. Por isso, só são percebidas em estágio avançado, quando ocorre infarto cardíaco, AVC (Acidente Vascular Cerebral), ou comprometimento visual por hemorragia, trombose ou hipertensão retiniana.

A prevenção é feita através de exames de sangue e de fundo de olho mais frequentes.
                        

Os grupos de risco que merecem atenção médica especial são:

* Portadores de doença cardiovascular
* Diabéticos
* Portadores de hipertensão arterial
* Quem tem colesterol alto
* Histórico familiar de doenças cardiovasculares
* Pessoas com mais de 50 anos

O médico diz que estes grupos devem praticar diariamente atividades físicas de 30 minutos a 1 hora. A alimentação deve incluir frutas, verduras e cereais integrais. O consumo de sal, açúcar, carne vermelha e gordura deve ser controlado.

Em caso de suspeita de dengue – manchas vermelhas pelo corpo, febre, dor de cabeça, no corpo e nas articulações – a recomendação do médico é buscar o serviço de saúde mais próximo e interromper o uso de ácido acetilsalicílico que é indicado aos portadores de doenças cardiovasculares para afinar o sangue, já que pode provocar hemorragia nos casos de contaminação pelo Aedes aegypti.
                      

Fonte

Leôncio Queiroz Neto – Médico oftalmologista do Instituto Penido Burnier.
          

*****
           

Informações à Imprensa

Eutrópia Turazzi – LDC Comunicação
eutropia@uol.com.br
Fone: (19) 3272-8784
Celular (19) 9172-4437




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.