A coluna vertebral e os exercícios físicos

É habitual que o futuro praticante de atividades físicas dentro das academias se submeta aos exames médicos prévios com cardiologistas e clínicos. No entanto, a saúde da coluna vertebral é também protagonista para quem deseja entrar ou manter a forma – qualquer atleta ou praticante de atividades físicas pode enfrentar problemas sérios ou agravar os já existentes, se não procurar um especialista em coluna.

De acordo com o Dr. João Luiz Pinheiro Franco, a coluna é o órgão máximo de sustentação do corpo e tem amortecedores ou discos intervertebrais que são responsáveis pelo seu movimento. “Sabe-se que os discos envelhecem, se desidratam e levam, muitas vezes, às dores. O especialista em coluna pode orientar quais são as atividades que devem ser feitas para determinada pessoa, principalmente para aqueles que têm dores nas costas, no pescoço, no nervo ciático, na perna ou nos braços durante a prática esportiva.”

Segundo Dr. João Luiz Pinheiro Franco, muitos pacientes já o procuraram por conta dos abusos em exercícios físicos sem orientação adequada. “Uma pessoa que tenha uma hérnia de disco, por exemplo, deve evitar carregar peso e, se muito necessário, manter a coluna apoiada durante a atividade de força. Dores nas costas durante o esporte é sinal de alerta. A pessoa deve procurar um especialista caso tenha estes sintomas.”

Uma das preocupações no tratamento das dores na coluna é evitar que os casos de dor aguda tornem-se casos de dor crônica. Assim, se o praticante tiver crises de dores lombares ou na coluna cervical, deve interromper a prática esportiva e procurar um especialista. “Pessoas com hérnias de disco, espondilolistese (escorregamento vertebral) ou pacientes que já passaram por cirurgia na coluna devem ter orientação médica sobre a possibilidade ou não de realizar musculação ou levantar peso. Uma pessoa com este perfil pode piorar o seu quadro de dor ou desencadear uma dor crônica”, diz o médico.

Mas, e os profissionais de Pilates ou de RPG não são capacitados para avaliarem as condições da coluna vertebral?  Na opinião do especialista em coluna, essas técnicas contribuem muito para o equilíbrio, a postura, a coordenação, o fortalecimento de musculatura paravertebral e abdominal e ajudam no tratamento de dores nas costas. Todavia, para uma avaliação clínica criteriosa é necessário que o praticante que tenha sintomas procure um médico especialista. “A realização de tratamentos por pessoa não qualificada pode não só não melhorar as dores lombares como também piorá-las. A estrutura da coluna é delicada e deve ser bem tratada.”

E os exercícios abdominais podem fazer mal? Dr. João Luiz Pinheiro Franco defende que,  muitos pacientes, em fase aguda, podem ter prejuízos na prática destes exercícios. “Situações como a rotura do anel fibroso do disco intervertebral podem ter uma piora com a prática de abdominais. A prática desta atividade em pessoas na fase aguda ou subaguda de hérnia de disco deve ser evitada.”

Já as atividades aeróbicas como esteiras e bicicletas geralmente não são prejudiciais à coluna, mas devem ser evitadas logo após o diagnóstico de uma hérnia de disco.

Para o especialista, o fortalecimento na musculatura das costas ajuda na sustentação da coluna e, de certa forma, a contrabalançar a desidratação discal que acontecerá com todas as pessoas. Por esta razão, a prática de atividades físicas é extremamente recomendada e benéfica à saúde da coluna, mas os praticantes devem ter alguns cuidados.

* Pessoas com hérnia de disco devem ter atenção redobrada e cuidados especiais com a coluna;

* Devem buscar informações com os professores de educação física, os fisioterapeutas e especialistas em coluna;

* É preciso ter cuidado com esportes, como o futebol de salão, por exemplo, que propicia as rápidas brecadas ou trancos;

* Não economizar na hora de comprar um tênis, para corrida, para a prática de tênis, etc. Há opções no mercado com excelentes amortecedores;

* Na natação, o nado borboleta e o nado de peito podem ser não recomendados em casos de doenças da coluna lombar e da coluna cervical, respectivamente.
                 

Fonte

João Luiz Pinheiro Franco – Neurocirurgião e especialista em coluna, diretor da Clínica Pinheiro Franco, localizada em São Paulo. Único autor nacional de “Conceitos Avançados em Doença Degenerativa Discal Lombar”, da editora DiLivros, obra referência da especialidade, lançada em 2010, e que conta com a participação de mais de 80 cientistas estrangeiros e a co-autoria de mais três autoridades médicas internacionais. Desde 2008, é revisor científico internacional do jornal norte americano de coluna Spine e do jornal europeu de coluna European Spine Journal. Neurocirurgião com especializações na Universidade de Strasbourg, França (de 2003 a 2005) e na Universidade de Tübingen, Alemanha (de 2005 a 2007) e membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e da Sociedade Francesa de Neurocirurgia.

 

*****

 

Mais Informações

Oficina de Mídia – Tel. 2219-2433
Maurício Santini (11) 9224-8737
Solange Melendez (11) 9232-9712 

 

 

  




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.