Amamentação e cuidados com as mamas

A preparação das mamas deve acontecer ainda durante a gestação. É nessa fase que as mamães de primeira viagem devem começar a aprender tudo o que envolve o aleitamento. Existem muitos mitos sobre o assunto e se informar é a melhor solução para prevenir problemas sérios durante a amamentação, afirma o Dr. Domingos Mantelli Borges Filho.
                        

O médico elaborou 6 perguntas e respostas sobre amamentação e cuidados com as mamas. Confira!
                      

1. Durante a gestação as mamas já se preparam naturalmente para o período de amamentação? Que mudanças ocorrem?

Sim, as mamas já se preparam naturalmente. As mamas são estruturas dependentes de hormônios e, por isso, durante a gravidez com o aumento dos hormônios na circulação ocorre o crescimento e ramificação do sistema de ductos mamários, por onde passará o leite no momento da amamentação. Há também grande depósito de gordura na região. No início da gravidez conforme as mamas vão crescendo, já em torno da quarta semana de gestação (1 mês),  pode-se sentir um formigamento e aumento da sensibilidade nas mamas, em resposta à ação dos estrógenos,  da progesterona e dos demais hormônios envolvidos na gravidez. Devido ao aumento do aporte de sangue na região durante a gravidez, as veias das mamas podem tornar-se mais visíveis (aumento da vascularização).

Com aproximadamente oito semanas aparecem os tubérculos de Montgomery, que são nódulos formados pela dilatação e maior ativação das glândulas sebáceas na região em volta dos mamilos. A função deste sebo secretado é deixar o mamilo mais macio e flexível para facilitar a amamentação. Com 12 semanas a área que circunda os mamilos fica mais pigmentada (escura), mantendo-se assim por até aproximadamente 12 meses após o parto.

Por volta da segunda metade da gestação pode surgir uma secreção incolor, rica em anticorpos e aminoácidos, que é o colostro, que persiste até o final da gravidez, sendo que o leite propriamente dito, só aparece três ou quatro dias após o parto aproximadamente.

O mamilo estimulado pela sucção do bebê provoca a liberação de ocitocina e prolactina. A ocitocina é um hormônio que provoca além da ejeção do leite, também contrações uterinas, e por isso muitas mulheres sentem o útero contraindo enquanto amamentam seus bebês nos primeiros dias. Isso ajuda o útero a retornar ao tamanho normal depois do parto.
                        
                 

2. Mesmo com essa preparação natural, que cuidados a mulher pode ter para ajudar no processo e deixar a região mais preparada para a amamentação?

As massagens nas mamas também são recomendadas nesse período. São simples de serem feitas e bastante indicadas pelos médicos. Segure a mama com as duas mãos, uma de cada lado, e faça uma pressão da base até o mamilo, como se fosse uma ordenha. Repita o movimento pelo menos cinco vezes com delicadeza, mas com energia. Depois, faça o mesmo com uma mão em cima e outra embaixo da mama. Esse procedimento ajudará na “descida” do leite e pode ser repetido uma ou duas vezes por dia.
                      
                      

3. A antiga recomendação de passar bucha vegetal é mesmo eficaz? Porquê? Se sim, deve ser feita em qual período, com qual frequência?

Sim. É recomendável usar a bucha vegetal durante o banho para lavar a região das aréolas e mamilos. Isso faz com que a pele dos mamilos não fique tão sensível, ajudando na hora de amamentar. Algumas pessoas podem no início sentir muita dor e até sangramento ao fazer isso. Portanto, não se deve esfregar demais os mamilos. Apenas faça uma massagem com a bucha nessa região, sem esfregar demais. Caso contrário além da dor, você poderá ter pequenas contrações uterinas, uma vez que massagear os mamilos em excesso com a bucha, pode estimular a liberação de ocitocina e levar o útero a se contrair. O recomendável é fazer esta estimulação uma vez ao dia, durante o banho. Caso apresente quadro de ameaça de abortamento ou risco de trabalho de parto prematuro, esta técnica deverá ser suspensa. Outra dica é, sempre que possível, ficar só de camiseta em casa, sem usar sutiã. O mesmo efeito pode ser obtido cortando os bicos de um sutiã velho para usar em casa. Isso também ajuda a deixar a pele dos mamilos menos sensíveis, já que ficarão “raspando” diretamente na blusa.
                  
                     

4. E os banhos de sol, porque são importantes nessa fase? Tem algum horário mais indicado? Quantos minutos e vezes por semana são recomendados?

O banho de sol é um dos melhores procedimentos para preparar as mamas. Tome de 10 a 15 minutos de sol nas mamas, de preferência todos os dias. Os melhores horários são antes das 10h da manhã ou depois das 3h da tarde. Dependendo do seu tipo de pele e da intensidade do sol, você pode aumentar ou diminuir um pouco esse tempo, porém não abuse. O calor do sol ajudará a deixar a pele mais resistente preparando melhor as mamas para o período da amamentação.
                 
               

5. E quanto aos cremes hidratantes? Devem ou não ser usados na área? Existe alguma substância que seja mais indicada e que deve constar na fórmula?

Os cremes hidratantes podem e devem ser usados nas mamas durante a gestação, principalmente para evitar o aparecimento de estrias, ajudando na hidratação e melhorando a elasticidade do tecido mamário que em breve irá aumentar de volume. Esses cremes hidratantes são aliados eficazes nessa luta, pois também possuem substâncias que ajudam na regeneração da pele. Produtos que contenham em sua fórmula uréia (máximo 3%), lactato de amônia, colágeno, elastina, vitamina E, e óleos vegetais, são recomendados antes da gravidez e durante a gravidez. Porém mesmo que a gestante já tenha utilizado algum creme ou óleo antes da gravidez, é importante perguntar ao médico para saber se há alguma substância na sua fórmula que possa prejudicar o desenvolvimento do bebê.
                            
         

6. Deve-se ter algum cuidado com os sabonetes utilizados nessa região, para evitar ressecamento?

A recomendação é lavar o bico do peito (aréola e mamilo) apenas com água. Não utilize sabonete diretamente nessa região. Eles já têm uma hidratação natural ideal que deve ser preservada. Claro que durante o banho um pouco de sabonete pode escorrer, e não há causa pra pânico. O que não se deve é usar o sabonete diretamente nos bicos esfregando-os, já que isso pode aumentar ainda mais a sensibilidade nessa região.
                  

Fonte

Domingos Mantelli Borges Filho – Médico ginecologista e obstetra.
Site- http://www.domingosmantelli.com.br/
                 

*****
               

Sacha Silveira Assessoria de Imprensa
MTB-51.948
Tel – (11)2532 7887/ 8949 3747
E-mail – sachasilveira@globomail.com




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.