Endometriose e suas complicações para o organismo feminino

A endometriose, caracterizada pela presença de tecido endometrial, que reveste o útero internamente, fora da cavidade uterina, é uma doença que afeta cerca de 15% da população feminina entre 15 e 45 anos no Brasil.

“Essa doença atinge mulheres que menstruam e exige tratamento cuidadoso e atenção contínua, porque a endometriose pode se expandir para órgãos vitais, como o intestino e bexiga, por exemplo, atrapalhando o funcionamento deles e ocasionando novos impactos prejudiciais ao organismo feminino. Apesar de não ter cura definitiva, a endometriose possui tratamento. Cada tipo de tratamento dependerá do grau da endometriose instalada. Nos casos mais severos, quando a endometriose já atingiu vários órgãos, o mais indicado é o procedimento cirúrgico”, alerta Dra. Rosa Maria Neme.

 

Como se trata de um problema que tem influência sobre a saúde feminina, podendo até levar à infertilidade e dor crônica, entrevistamos a Dra. Rosa Neme sobre os aspectos fundamentais que envolvem o assunto:

1-A falta de tratamento da endometriose pode fazer com que a doença atinja outros órgãos? Em caso positivo, por quê?

A endometriose é uma doença progressiva. A falta de tratamento vai causando processos de aderências dos órgãos e infiltração dos focos de endometriose nos órgãos vizinhos, podendo atingir o intestino, os ovários, a bexiga, só para citar alguns exemplos, dependendo da localização da doença. Além disso, pode causar infertilidade em casos avançados e quadros de dores crônicas, mesmo fora do período menstrual, que não melhoram com medicações analgésicas.

 

2-  Existe como reverter essa situação de agravamento da endometriose sem operar?

Infelizmente não há como lidar com a endometriose sem cirurgia, caso ela já tenha atingido outros órgãos, como ovários, intestino e bexiga. Como é uma doença que não tem cura, é imprescindível também um controle rigoroso semestral para evitar o retorno da doença após a cirurgia.

 

3- Como a expansão da endometriose para outros órgãos afeta o funcionamento destes? Qual o tratamento indicado?

Tudo dependerá do órgão acometido. Se for ovário, por exemplo, isto pode causar infertilidade. Se a endometriose se instalar no intestino, pode ocorrer dores intestinais fortes, sangramento anal na menstruação e até quadros de obstrução do intestino. Como disse, o tratamento desses quadros é sempre cirúrgico. Atualmente, existem técnicas mais modernas para este tipo de tratamento, como a cirurgia robótica.

 

4- Dos casos de endometriose qual o percentual que corresponde à endometriose intestinal?

Cerca de 10 a 15 % dos casos.

 

5- A realização da cirurgia depende da faixa etária, localização e intensidade dos sintomas?

Sim. Em casos de ausência de sintomas e em casos de mulheres próximas à menopausa, procuramos evitar a realização do procedimento, já que se trata de uma cirurgia bastante delicada.

 

6- Quais os danos causados ao intestino? Eles podem voltar?

O intestino pode ser acometido pela doença na sua profundidade, causando quadros de dor para evacuar e às vezes até sangramento anal nas evacuações. Após a cirurgia, o intestino tende a funcionar de uma forma melhor e a dor desaparece. Além disso, a chance da doença voltar no intestino, quando tratada adequadamente, é extremamente rara.

 

7- Quais os problemas e sintomas da endometriose que atinge a bexiga? Eles podem voltar?

Os sintomas deste tipo de endometriose, em geral, são dores na região da bexiga, dor durante a micção (principalmente, na época da menstruação) e, às vezes, sangramento na urina na menstruação. Caso haja retorno da doença após o procedimento cirúrgico, esses sintomas podem retornar.

 

8- Quando a endometriose atinge os ovários, ela atrapalha a menstruação? Pode ser necessária a retirada dos ovários?

É muito difícil a endometriose ovariana causar a irregularidade menstrual. Em geral, os principais sintomas são dor e dificuldade de engravidar. A retirada dos ovários é sempre evitada e retira-se apenas o cisto de dentro do ovário de endometriose, já que os ovários são importantes não só na produção dos hormônios, mas, principalmente, para a fertilidade.

 

9- A infertilidade causada pela endometriose é sempre definitiva ou o quadro pode ser revertido com tratamento adequado?

Na grande maioria das vezes ela é revertida com tratamentos específicos. Na pior hipótese, a mulher é submetida a um tratamento de fertilização in vitro e que apresenta altas taxas de sucesso, mesmo em mulheres com endometriose.

 

Fonte

Rosa Maria Neme (CRM SP-87844) - Graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1996) e doutorado em Medicina na área de Ginecologia pela Universidade de São Paulo (2004). Realizou residência-médica também na Universidade de São Paulo (2000). Além de dirigir o Centro de Endometriose São Paulo, ela integra a equipe médica do Hospital Israelita Albert Einstein, Samaritano, São Luiz e Sírio Libanês.
O Centro de Endometriose São Paulo conta com serviços voltados à assistência global da saúde da mulher e valorização da beleza feminina. A iniciativa deste projeto pioneiro é da Dra. Rosa Maria Neme, que possui diversos trabalhos publicados sobre a endometriose e larga experiência no tratamento desta doença. Ela lidera uma equipe clínica formada por médicos e profissionais nas áreas de ginecologia, radiologia, cirurgia do aparelho digestivo, urologia, clínica geral, anestesia especializada no tratamento de dor, dermatologia, fisioterapia, nutrição e psicologia.

 

*****

 

Mais informações

Prestige Assessoria de Comunicação e Marketing
Tel.: (11) 3757-3512
Chris Santos – christiane@prestigerp.com.br
Sandra Santos MTb 33.322 – sandra@prestigerp.com.br
Aline Marques – aline@prestigerp.com.br
www.prestigerp.com.br
 
Sandra Santos
Prestige Assessoria Comunicação Mkt
Av. Jamaris, 100 cj 209 – Moema
São Paulo – SP  cep: 04078-000
E-mail: sandra@prestigerp.com.br
MSN: san_drabeth@hotmail.com
(11) 3757-3512 / 9753-3210
ID 7*46984
Skype: sandrabeth1
www.prestigerp.com.br




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Adorei o tema, eu tive(ou tenho )endometriose aos 30 anos, fiz cauterização, e engravidei,mas tive vários abortos….gostaria de saber se atravez de exame de sangue pode se saber se voltou a endometriose,pois eu tenho sangramento anal esporádico.
grata jussara

ola recentimente eu fiz uma cirurgia de suspenção de bexiga com uma tecnica de tela sling pois a ginecologista mim endicou achando que as dores q eu sentia no abdomem era disso mais na verdade não e pois eu ja num tenho mais o utero a mais de 11 anos e eu voltei a sangra novamente então ela mim falou que eu estou com endometriose,isso e possivel se eu ja num tenho mais o utero por favor mim esclareça….

Gostei muito… mais se eu tenho endo na bexiga e não fizer a cirurgia o que pode acontecer? Sendo que mesmo que faça a cirurgia vcs disseram que pode voltar a doença, eu não queria fazer não… a endo pode aumentar ou ela pode continuar do mesmo jeito!

gostei muito acho que devem ser mais divulgado o tema endometriose eu hoje já fiz tres cirurgias e esta sera quarta vez……

gostei das materias sou uma potadora da doença tudo que li realmente é assim mesmo eu estou em um processo de medicação injetavel com efeitos colaterais com um agravanteeu tive um problema de aneurisma celebral antes da endo tem medicação que não posso fazer devido eu ter tido aneurisma e complicado ate mesmo de falar dessa doença ,a gente se sente muito [pelo menos eu me sinto assim sozinha uma et ,que ninguem sabe oque fazer ]despresada por medicos que acham que so eles é quem sabe as vezes duvidando do nosso sofrimento que não é pouco
fiz cinco cirúrgias

ja fiz 2 cirugiaa tirei ovario depois volto no outro ainda continuo com a mesma dor mas ma minha cidade nao te especialistas o q devo fazer

Os comentários estão encerrados.