Morte súbita x esportes

HCor participa da campanha “Coração na Batida Certa” e alerta sobre a prevenção das arritmias cardíacas e morte súbita em atletas.

Especialista em medicina esportiva do HCor destaca a importância da orientação médica e da preparação física adequada para reduzir número de casos fatais.

Dados do Comitê Olímpico Internacional (COI) revelaram que dois a três casos de morte súbita são registrados mensalmente entre praticantes de esporte. O fato mais recente conhecido é o do brasileiro José Carlos Gomes, 58 anos, que morreu após cruzar a linha de chegada da maratona de Nova York. Os jogadores de futebol, por ser o esporte mais praticado do mundo, lideram a lista de óbitos.

Na maioria dos casos registrados, a morte súbita é originada por algum distúrbio cardíaco. De acordo com o Dr. Nabil Ghorayeb, a orientação médica é a principal medida de prevenção para reduzir o número de óbitos entre os atletas. “A possibilidade de uma não detecção de doenças cardíacas de risco em exames feitos com um cardiologista experiente em esporte é de apenas 2%.”

O risco estimado de morte súbita entre pessoas com idade até 35 anos é de 0,75 a cada 100 mil homens e de apenas 0,13 a cada 100 mil mulheres. Acima dessa idade, o número se iguala entre homens e mulheres, com 6 mortes a cada 100 mil pessoas. “O atleta com mais de 40 anos deve saber que correr maratona não é como passear no Shopping. Ele precisa de orientação quanto à preparação física e técnica e avaliação médica da cardiologia aplicada ao esporte, ao menos seis a nove meses antes de iniciar as atividades”, explica.

Para ajudar a esclarecer a população sobre os riscos da arritmia cardíaca e sua importância como causa nos casos de morte súbita, o HCor, em parceria com a SOBRAC (Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas), participará da campanha “Coração na Batida Certa”, que acontecerá na semana de comemoração do Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Mortes Súbitas, celebrado dia 12 de novembro, no HCor.
                          

Medicina Esportiva HCor

Considerada um dos mais importantes centros nacionais da especialidade, reúne uma equipe altamente especializada com os mais modernos recursos tecnológicos para dar assistência a todas as patologias ortopédicas, além da área clínica e cardiologia ao esporte para todas as faixas etárias.

Com a realização de 600 cirurgias de joelho por ano e mais de 25 procedimentos de sutura do menisco por mês (a medicina esportiva do HCor é referência na utilização desta técnica), a Instituição atende a todos os perfis de esportistas, desde o amador até o profissional.
                                     

O Sport Check-up

É um programa do HCor que oferece a possibilidade de realizar uma completa avaliação em curto espaço de tempo, o que facilita a rotina de treinamentos e a agenda dos atletas, esportistas e pessoas que pretendam iniciar suas atividades físicas. São realizadas avaliações cardiológica, ortopédica e exames de diagnósticos além de teste ergométrico, eletrocardiograma e orientação nutricional.

Para os esportistas e atletas que já praticam atividades físicas regularmente, serão realizados outros exames complementares. Já os atletas de alto desempenho, irão contar com um módulo completo, com uma série de exames, mais aprofundados, além de condutas diferenciadas necessárias para este perfil. Os exames laboratoriais podem ser colhidos na empresa ou residência dos clientes. São disponibilizados, ainda, os resultados dos exames em CD-ROM. Assim, clientes e médicos poderão ter acesso à avaliação completa, em qualquer momento.

O programa integra grandes especialidades da instituição: a cardiologia, medicina do esporte, ortopedia, nutrição e diagnóstico. Ele completa as diversas modalidades de avaliação e orientação de esportistas, executivos, atletas amadores e atletas profissionais com os mais modernos conceitos da medicina do esporte.
                       

A importância da atividade física com respaldo científico

É comprovado que a atividade física é fator relevante para o bom funcionamento do organismo. Segundo Nabil Ghorayeb, cardiologista e especialista em medicina do esporte do HCor, os conhecimentos científicos modernos indicam que o sedentarismo é um dos mais importantes fatores de risco para o aparecimento de doenças degenerativas cardiovasculares e do metabolismo como o diabete e a síndrome metabólica.

“Recomendações oficiais epidemiológicas divulgadas no ano passado, pelas entidades American Heart Association, American College of Cardiology e European Society of Cardiology, aceitas pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, recomendam atividades físicas regulares cinco vezes por semana (aeróbicas) e duas vezes por semana (fortalecimento muscular) para alcançar o objetivo da prevenção e manutenção da saúde”, afirma o Dr. Nabil.
                    

Fonte

Nabil Ghorayeb – Médico cardiologista e especialista em medicina do esporte do HCor – Hospital do Coração, em São Paulo. 
                      

*****
                      

Mais informações para a imprensa

Target Consultoria em Comunicação Empresarial
Assessoria de Imprensa do HCor – Hospital do Coração
Rita Barão / Italo Genovesi / Thaís Fernanda
Tel: (11) 3063-0477
rita@targetsp.com.br
italo@targetsp.com.br
thais@targetsp.com.br




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

eu ja vou para o 3 ablaçao e nao fico boo

Peguto ao Dr Nabil Chorayed Cardiologista e Especialista em medicina Do Esporte. tenho 56 anos tenho arritimia Supraventriculares no ezame deu 4 isoladas, todos os dia eu intercalo corridas e caminhadas pelo menos uma hora e meia graças a Deus não sinto nada enquanto estou me ezercitando quando paro sinto varias veses a sensaçao que meu coração esta falhando. estou tomando ancorom 200mg. Corro algum risco. Espero ancioso sua resposta Dr. Meu Muito Obrigado.

P
ergunto Ao Dr Nabil chorayed Cardiologista e Especialista

oi,eu me chamo daniele e no ano passado descobri que tenho arritmia, fiquei com dpressão e sidrome do panico o meu cardiologista falou que foi o remedio que eu tomei para emagrecer me passou um antideprssivo um calmante p dormi mais ja fez um ano e de veiz em quando cinto que meu batimento continua errado eu malho faço jumpe ,musculação mais tenho muito medo de morrer e o meu tratamento estar errado me responda assim que puder tenho 33 anos e três filhos obrigado..

Os comentários estão encerrados.