Saiba como cuidar do pulmão de seu bebê

Confira as medidas que fazem diferença na vida dos recém-nascidos e resultam em um desenvolvimento saudável.

Desde antes do nascimento, o desenvolvimento do pulmão é muito importante e definitivo em termos de qualidade de vida. Ele começa na gestação e normalmente cresce até os sete anos de idade. Portanto, uma infância saudável e com certos cuidados é fundamental para evitar problemas futuros.

O pulmão do bebê nascido no tempo certo continua se desenvolvendo nos primeiros anos de vida. Ainda ocorrerá a formação de novos alvéolos, região responsável pela troca saudável de gases, e também haverá melhor sustentação da caixa torácica, que passará de cartilagem para óssea. Segundo a especialista dra. Marina Buarque de Almeida, da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, o bebê nascido antes do tempo tem mais chances de enfrentar problemas pulmonares. “Quanto mais prematuro for, mais prematuro será o pulmão” (aqui vale citar link sobre matéria do pulmonar sobre displasia broncopulmonar, doença que pode acometer os pulmões dos bebês prematuros).

Logo após o nascimento o bebê pode ter problemas respiratórios de evolução benigna, como a taquipnéia transitória, quando o pulmão retém um pouco de líquido, que logo será eliminado naturalmente, mas dificulta a respiração nas primeiras horas de vida.

“Problemas infecciosos pulmonares nos recém-nascidos podem ser mais preocupantes, e às vezes, resultam de uma infecção da própria mãe“, explica a especialista.

Há uma série de determinantes no desenvolvimento e funcionamento dos pulmões. A dra. Marina Buarque de Almeida explica que tudo depende de variáveis: “Se a mãe teve uma gravidez saudável, um parto tranqüilo, não fumou durante a gravidez e nem se expôs ao tabaco e se a criança nasceu no tempo certo, são alguns fatores relevantes”.

Cuidados importantes

* Pré Natal adequado (menor risco de parto prematuro, menor risco de infecções maternas que podem aumentar risco de pneumonias no bebê);
* Evitar exposição da gestante ao tabaco;
* Parto (normal ou cesárea) sem sofrimento do feto; e
* Evitar exposição do bebê ao tabaco.

Fonte

Marina Buarque de Almeida – Médica da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia.

Assessoria de imprensa

Acontece Comunicações e Notícias
Brunna Soares ou Monica Kulcsar
Acontece Comunicação e Notícias
(11) 3873-6083 / 3871.2331
chicoacontece@uol.com.br
www.acontecenoticias.com.br




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Adorei a publicacao.Eu por acaso estou gravida de 4 meses,antes de engravidar sempre fumei,poes sempre disse q um dia q estivesse gravida havia de deixar,poes assim o fiz,por nada deste mundo jamais poderia continuar porque em 1lugar esta a saude do meu bebé.Porque sempre soube q uma mae q fuma durante a gravidez talvez nao quera uma saude saudavel para sua crianca,se nao fumar é bem verdade q previne o bebé de muitos problemas,e concerteza q tera um filho muito mais saudavel sem fumo durante o periodo q estiver gravida.Por isso nao fumem no periodo de gravidez,nao sou faz muito bem ao bebé como a si propria.Apesar q mesmo muito antes de engravidar tbem nao devemos fazer,mais ai sou seras tu a prejudicada,do-que um bebé.

Os comentários estão encerrados.