Problemas respiratórios – cuidados com recém-nascidos

Cuidados com recém-nascidos são essenciais para evitar problemas respiratórios.

Chegar ao mundo não é tão fácil quanto alguns imaginam. Os recém-nascidos passam por um período de adaptação e necessitam de cuidados especiais para evitar problemas de saúde. Aliás, essa época do ano, de ar mais seco e poluído, é campeã em provocar distúrbios respiratórios nas crianças, principalmente as que têm menos de um ano.

“Os recém nascidos necessitam se adequar ao ambiente. No outono, em centros urbanos como São Paulo, não chove e o ar fica carregado. Há alterações na temperatura que favorecem a propagação de vírus”, explica a dra. Renata Waksman, presidente do Departamento de Segurança da Criança e do Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Para diminuir os riscos de doenças respiratórias nesta fase, é preciso algumas precauções. De acordo com a dra. Renata, as pessoas em contato direto com o bebê devem lavar as mãos com freqüência. Isso porque o vírus impregna geralmente o ar e as mãos.  Outros cuidados importantes são manter a casa bem ventilada, higienizar bem a casa e evitar o contato com gente resfriada.

“Não podemos esquecer da importância do vírus da gripe, e lembrar que atualmente há recomendação da aplicação da vacina da gripe anualmente para todas as crianças entre 6 meses e 5 anos, além dos idosos, profissionais de saúde, e indivíduos com algumas doenças crônicas, como os portadores de doenças pulmonares crônicas, a exemplo da asma, a mais comum na faixa etária pediátrica” explica a dra. Marina Buarque de Almeida, Pneumologista Pediátrica da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT).

Locais ventilados e banho de sol são aconselháveis. Quando o bebê chegar do hospital, momento comum de receber várias visitas, é bom evitar os excessos, pois a probabilidade de contaminação é grande. “O correto é passear em lugares abertos, livres. Nada de shopping center e lugares fechados. Muita gente, ar condicionado e barulho não são bons para os primeiros meses de vida do bebê. São muito frágeis e mais suscetíveis a doenças”, enfatiza a dra. Renata.

As patologias que acometem os bebês nos primeiros meses de vida são inúmeras, desde resfriados até problemas mais graves, como a bronquiolite. Bebês pequenos devem ser observados com muito cuidado, se contraírem gripe ou resfriados, devem ser observados atentamente. Em caso de febre prolongada, prostração, diminuição da aceitação alimentar, cansaço às mamadas, falta de ar, gemência e mudança de cor da pele (palidez ou cor arroxeada), o pediatra deve ser imediatamente procurado.

“Neste período de outono e inverno há circulação de vários vírus que podem acometer as vias aéreas dos bebês e das crianças pequenas. Entretanto, o mesmo vírus que pode dar sintomas leves como coriza e espirros em crianças maiores de 2 anos ou adultos, em bebês pode causar quadros pulmonares de leves a graves, como é o caso da bronquiolite viral aguda, onde os bebês menores tem mais risco de evoluírem com insuficiência respiratória”, reforça dra. Marina Buarque.

O dr. José Eduardo Delfini Cançado, presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT), alerta que os recém-nascidos têm as vias respiratórias estreitas e mais sensíveis. Os vírus presentes nos ambientes são os causadores de doenças respiratórias, como resfriados, gripes e asma. É bom não molhar o ouvido nem usar cotonete, só molhar a fralda com água morna e passar em volta para a limpeza.

“No primeiro ano de vida há uma maior incidência de problemas de ouvido, como a otite média aguda, que cursa com dor no ouvido, febre e irritabilidade da criança. Quando a primeira otite média ocorre nos primeiros seis meses de vida existe uma maior probabilidade de a criança desenvolver otites de repetição. Já a rinite do lactente ou rinite do recém-nascido é bastante freqüente e é caracterizada por coriza e obstrução nasal  – muitas vezes percebidas pelos pais como um barulhinho no nariz. Para minimizar os riscos, o leite materno, a posição da amamentação, a lavagem nasal com soro fisiológico e um ambiente adequado são essenciais”, comenta a dra. Daniela Thomé, otorrinolaringologista pela Universidade de São Paulo (USP).

 

Cuidados com a posição

Na América Latina, colocar o bebê de lado ou de deitado de barriga para baixo é cultural, mas não faz bem. Segundo a dra. Renata a posição mais segura é de barriga para cima. Os pais não sabem da importância da posição e muitas vezes não recebem orientação adequada.

“Desde o início da década de 80, ao se constatar o alto índice de morte súbita ou a síndrome da morte no berço, associada à posição de bruços que os bebês eram colocados para dormir, inúmeras pesquisas relacionaram óbitos de bebês sadios durante o sono à esta posição”, ressalta a dra. Renata.

De acordo com a dra. Daniela Tomé, a posição da amamentação também é importante. A cabeça da criança deve ficar em um ângulo maior ou igual a 45 graus para evitar que o leite chegue ao ouvido e ocasione secreções na região, assim evitando problemas futuros.

“O cuidado deve ser maior ainda naqueles bebês em aleitamento artificial (fórmulas infantis na mamadeira), pois há sempre uma tendência de colocar o bebê deitado durante a mamada. A situação fica mais complicada quando o lactente já mama sozinho segurando a mamadeira, e ele mesmo tende a se recostar e procurar uma posição horizontal para mamar, o que determinará acúmulo de leite em locais inapropriados, favorecendo os episódios de otite”, enfatiza dra. Marina Buarque.

 

Pulmonar

A SPPT, sempre prestando serviços ao seu público, abre espaço em seu site www.pulmonar.org.br para prestação de serviços à comunidade. Traz aos cidadãos todo o tipo de conhecimento sobre as doenças respiratórias e pulmonares. Também dispõe de dicas de hábitos saudáveis, prevenção e cuidados para cuidar da saúde As dicas do portal Pulmonar, assim como seu conteúdo, não substituem o acompanhamento médico.

 

Assessoria de Imprensa
Acontece Comunicação e Notícias
(11) 3873.6083 / 3871.2331
Cíntia Gomes ou Monica Kulcsar

acontececom2@uol.com.br

www.acontecenoticias.com.br




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Olá,
Tenho um processo contra uma clinica, (quero deixar claro que por falta de opção deixei minha esposa ter nosso filho ali),pois a mesma estava em obras quando nosso filho nasceu, no andar onde é o centro cirurgico e o quarto que ficamos enternados estavam trocando o piso do corredor, lixando, pintando, ou seja, estavam em reforma, meu filho nasceu bem, Graças a Deus, e apos a higenização do bebê, ele foi para o quarto e depois retornando para o berçario.
No outro dia infelimente teve uma complicação, um problema respiratório onde teve que ficar enternado por 7 dias na encubadora.
Gostaria que me ajudassem, pois o processo chegou em uma fase que pede um assistente tecnico “medico”, a qual não será possivel nos termos por motivo financeiro, não tenho condições, embora seja importante, por isso gostaria de saber se é possivel ter alguma relação do quadro clinico do meu filho com a necligência da clinica e se possivel que me mande-se algumas perguntas tecnicas onde nos ajude a comprovar a relação entre (sugeira, tintas, poeira x problemas respiratório) para pedir que o perito analise e nos dê sua resposta favoravel.
Obrigado pela atenção.
Que Deus te abençoe.

olá! eu gostaria de esclarecer uma duvida minha! qual é a melhor estão do ano para o nascimento de um bebê? e a cesairana é recomendada em que situação? obrigado

olá, meu filho nasceu prematuro, e os médicos constataram um problema na laringe a laringomalácia,gostaria de saber se este problema gera algum tipo de complicação e se fica mais fácil contrair doenças respiratórias.obrigada pela atenção.

olha comentario sobre secreção nazal

tenho um bb de 1 mes e poquim,e como ele nasceu em um mes mto frio(atualmente vivemos em espanha) é a 2ª vez que ele gripa.o que acontece é que aqui o unico que fizeram da 1ª vez que ele gripou foi dar inalaçao com um remedio parecido com o aerolim,mas agora ele gripou outra vez só que o unico que a medica recomendou fi fazer lavagem nasal e sugar com uma bombinha a secreçao.ou seja nao sei o que fazer pra que meu bb nao gripe.

meu bb tem 7 dias de nacido, ele esta com corisa no nariz, e esta corisa é amarelada, estamos no outono hoje é dia 5/04/2010,esta chovendo muito poraqui, as parede de minha casa estao toda umida, estou colocado rinosoro e aspirando com a bombinha, oq posso mais fazer para ajudar o meu pequeno bb? por favor me ajudem, ele nao esta conseguindo mamar direito!

Olá!!!
Tive Bebê dia 7 de Janeiro de 2010. tive uma gestação muito tranquila,todos ultrassoes normais, fiz o morfologico também, tudo normal, sem nenhuma intercorrencia. marquei a cesaria com 39 semanas completas. o meu filho nasceu super bem, teve apgar 8 e 9, pesou 3,780kg mediu 50,5cm. depois de todos os procedimentos da pediatra ele foi levado para o berçario onde ficam a espera da mãe ser liberada para o quarto. Quando me recuperei e fui levada para o quarto a espera de meu filho, começou as complicações, meu filho começou a ter gemencia e a sua barriguinha saltava para cima rapidamente para respirar, isso começou 1 h e 30 min depois que ele nasceu. a Pediatra não veio ver ele, as enfermeiras entraram em contato por telefone com ela e ela disse que era taquipineia transitoria de RN e que era pra colocar no oxigenio. As enfermeiras falavam pra mim, pro meu esposo e pra toda minha familia que tava tudo sob controle, que isso era normal e que meu filho logo viria pro quarto, insistimos em ligar para a pediatra que estava atendendo em seu consultorio, a secretaria pediu que retornasse a ligação depois de 2 horas, as 15h ligamos meu marido falou com ela, ela disse o mesmo que as enfermeiras que era normal. a pediatra apareceu no hospital as 19h, entrou no meu quarto toda apavorada dizendo que o meu filho não estava bem e que o hospital não tinha UTI neonatal e que ele precisava de mais recurso, ela encaminhou ele para a UTI neonatal de outro hospital, ja que aquele não tinha, chegando la passado das 20h e 30 minutos da noite. Meu filho foi entubado na madrugada daquela noite fez pneumotorax e teve algumas convulsões, teve febre alta pelo que disse a pediatra e na tarde do dia seguinte as 15h aproximadamente ele faleceu…fizemos autopsia nele e a conclusao é que ele tinha cardiomegalia e esplenomegalia. Mas não sabemos se ele nasceu com isso ou se devido a todo sofrimento ele desencadeou isso, pq até então em todos ultrasson meu filho era extremamente saudavel e depois como acontece tudo isso e ele morre. Até hoje ninguem diz exatamente o que ele tinha. So acho que a pediatra e toda a equipe de enfermagem do hospital negligenciou e brincou com a vida do nosso filho, ficaram esperando para ver o que da.
e nos não temos nenhuma certeza do que aconteceu realmente???

site de informação para os pais de bebês recem nascido

Parabéns pela informação

Tenho uma bebe de 2 meses,nasceu com 4.210kg,completei 41 semanas, foi parto normal.Ela saiu da sala de parto com dificuldade para respirar,ficou 72 horas em observacào.Nào tive nenhum problema na gravides,meus exames foram todos perfeitos,engordei 8kg.
Ela tem um barulhinho no naris, nào tem secrecào,mas isso dificulta a respiracào.Faco inalacào e uso soro nas narinas, tambem ja fez duas limpezas no hospital com sonda ,mas nada disso adianta,ja levei em 6 medicos e cada um fala uma coisa;um que ela tem o naris muito pequeno,outro que pode ser alergia ao leite,liquido do parto que nào foi retirado,alergia tipo renite e que pode ter batino o naris na hora do parto por isso esta inchado nào permitindo o liquido passar,mas ate agora nenhuma solucao.Gostaria se possivel algo concreto que a ajudasse.

Minha filha de 17 dias esta com excesso de espirros e sinto que ela esta com o peito congestionado, pode ser gripe, devo leva-la imediatamente ao pediatra ou não?

meu nenem tem 24 dias e ele esta com o narizinho ruim mas o medico falou que é so corisa,mas ele chega a engasga com isso o pediatra passou descongex pra ele toma 2 gota e sorine.mas eu tenho medo de da o que eu faço? remedio é seguro?

ola!tenho uma bebe de 13 dias que nasceu ja cansadinha ela tambem nasceu com um pequeno sopro no coraçao!pra piorar a situaçao esta gripada!com secreçao no naris to usando sorine e puxando aos poucos com a bombinha e dando inalaçao com soro fisiologico!mas ela agora nao consegue respirar direito estou muito triste ja nao sei oque fazer agora elachora !por favor me dem um conselho!

Os comentários estão encerrados.