Hipertensão arterial – consumo excessivo de sal nos alimentos industrializados

Hospital do Coração alerta sobre os riscos da hipertensão arterial e o consumo excessivo de sal nos alimentos industrializados.

Alimentos enlatados, embutidos e molhos em geral contêm alta quantidade de sódio e devem ser evitados, pois podem levar ao aumento da pressão sangüínea.

Para conscientizar a população sobre os riscos da hipertensão alterial, o dia 26 de abril foi instituído como Dia Nacional de Combate a Hipertensão Arterial. Para marcar a data, o HCor – Hospital do Coração, alerta sobre os riscos dessa doença – mais conhecida como o mal da vida moderna e a doença que mais mata no país. Segundo dados da OMS – Organização Mundial da Saúde – a doença pode atingir aproximadamente 3,5 milhões de crianças e adolescentes no Brasil. A taxa de incidência da hipertensão é de 30% na população brasileira e, como a doença não apresenta sintomas, metade dos hipertensos não sabem que têm o problema.

Atualmente, a hipertensão existe em qualquer idade e atinge 65 em cada 100 idosos, e o seu controle reduz em 40% os riscos de derrame e em 20% o risco de enfarte. Ela está associada às doenças cérebro-vascular e coronariana – principais causas de morte no Brasil -, com aproximadamente 300 mil óbitos por ano, isto é,  a cada dois minutos, ocorre um óbito em função desta doença. Estudos da OMS revelam, ainda, que a DAC (Doença Arterial Coronária) cresce anualmente devido ao inadequado controle dos principais fatores de riscos cardiovasculares como a hipertensão, diabete e o aumento do colesterol.

Segundo o cardiologista e especialista em hipertensão arterial do HCor – Hospital do Coração, Celso Amodeo, é muito importante controlar os fatores de riscos bem como evitar o consumo em excesso de alimentos processados, embutidos e industrializados. “Os jovens que consomem muitos produtos processados (com alto teor de sal) e alguns tipos de fast food, apresentam maior risco de desenvolver hipertensão arterial,  pois trocam os alimentos naturais pelos industrializados. E quando se alimentam adequadamente abusam dos saleiros disponíveis nas mesas, o que favorece o aumento da pressão arterial”, explica o dr. Amodeo.

Estudos mostram ainda que entre as populações que consomem pouco sal, a pressão arterial não aumenta conforme a idade. Portanto, fica evidente a necessidade de orientar a população, além de educar continuamente as crianças para consumirem pouco sal desde pequenos. Atualmente, o sal é consumido numa quantidade duas vezes maior do que o recomendado pelos médicos (4 a 6g) distribuídos por todas as refeições. Ao contrário disso, consome-se em média, cerca de 12 a 15 gramas por dia, chegando a uma quantidade superior em alguns Estados do Nordeste. “Por isso, a pressão alta atinge em torno de 25% a 30% da população adulta, podendo chegar a mais de 50% na população mais idosa”, acrescenta o cardiologista.

A hipertensão está aumentando progressivamente com a idade, e chega a mais de 50% após os 60 anos, além de aumentar em quatro vezes os riscos de doenças arteriais coronárias quando comparado às mulheres com pressão arterial normal. Em indivíduos com predisposição genética e estilo de vida inadequado (sedentarismo, dieta hipersódica, hipercalórica e hipergordurosa) a doença se dá mais precocemente  e com características de maior resistência ao tratamento. Havendo um acompanhamento médico e uma dieta adequada pode-se prevenir ou retardar o desenvolvimento da doença.

Recomendações: segundo dr. Amodeo, é importante evitar os alimentos enlatados (ervilhas, massa de tomate, etc), embutidos (salame, salsicha, entre outros), envidrados (palmito, azeitona e molhos em geral), queijos e pães. Todos estes alimentos contêm sódio (composição do sal de cozinha) e a elevada ingestão dele faz o organismo reter mais líquidos, podendo levar ao aumento da pressão sangüínea e causar a hipertensão – responsável por infarto e acidente vascular cerebral -, além de afetar os rins.

Recomenda-se a utilização do sal somente no preparo dos alimentos, mas com moderação, e retirar os saleiros da mesa. A medida diária de sal fica em torno de 4 a 6 gramas por dia.

 

Dicas para combater a hipertensão:

· manutenção do peso ideal;

· prática regular de atividade física;

· redução da ingestão de sal;

· evitar a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas;

· seguir dieta saudável que deve conter baixo teor de gordura (principalmente saturadas), baixo teor de colesterol e elevado teor de fibras;

· checar sempre a pressão arterial com um profissional da área de saúde.

 

A hipertensão arterial

A primeira causa de morte no mundo são as doenças cardiovasculares, sendo a hipertensão o principal fator desencadeador dessas doenças. Há uma relação muito forte com o histórico familiar e fatores como excesso de peso, abuso de álcool, fumo e sedentarismo. A pressão arterial alta não tem cura, mas pode ser controlada. Algumas mudanças de hábitos podem ajudar a manter a saúde dos hipertensos.

 

Mais informações para a imprensa:

Target Consultoria em Comunicação Empresarial

Assessoria de Imprensa do HCor – Hospital do Coração

Rita Barão e Natália Moreira

Tel: (11) 3063-0477

natalia@targetsp.com.br




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Considero muito elucidativas as informações. Obrigada.

Os comentários estão encerrados.