Anemia renal x doenças cardiovasculares

A anemia renal é mais comum do que se imagina.

A síndrome, que afeta pacientes com insuficiência renal crônica,
pode originar ou agravar doenças cardiovasculares.

Uma ligeira indisposição, fraqueza e falta de apetite são sinais de que algo não vai bem. Esses sintomas, seguidos pela dificuldade de concentração e de aprendizado, podem representar o surgimento da anemia, uma síndrome comum entre os brasileiros.

A anemia é uma doença causada pela diminuição na concentração de hemoglobina (glóbulos vermelhos do sangue) no organismo, o que em termos práticos significa a redução no transporte de oxigênio para tecidos e órgãos. A síndrome tem diversas origens, como carência de ferro e vitaminas, deficiências genéticas, problemas na medula óssea (tumores e leucemia) e pode também ser conseqüência de enfermidades crônicas. Este é o caso da anemia renal, causada pelo agravamento do quadro da insuficiência renal crônica, doença que provoca uma degradação lenta, progressiva e irreversível das funções renais.

Segundo pesquisas realizadas nos EUA com mais de 150 mil pessoas, a anemia ocorre em cerca de 45% dos pacientes no estágio da doença renal crônica anterior a necessidade de diálise, terapia que substitui com uma máquina a função dos rins. Mas, o mais grave é que 99% dos pacientes que já estão no estágio de diálise apresentam anemia. De acordo com o último censo realizado pela Sociedade Brasileira de Nefrologia, atualmente mais de dois milhões de brasileiros sofrem com algum estágio da doença renal.

Em grande parte dos casos, quando tratada tardiamente, a anemia renal leva a complicações cardiovasculares, como o aumento do tamanho do coração e o aumento no ritmo de bombeamento do sangue em busca de uma espécie de compensação para a falta de oxigenação no corpo.

Doenças comuns aos brasileiros, como diabetes e pressão alta, consideradas grandes ameaças à saúde dos indivíduos, figuram como as principais causas de doenças renais crônicas no país. Estimativas apontam para um grande aumento da anemia renal nos próximos anos, em decorrência da esperada elevação nos casos de diabetes e pressão alta. O diagnóstico de uma dessas doenças deve ser encarado como um alerta da presença de doença renal e o acompanhamento médico é imprescindível para todos os casos.

O tratamento para a anemia renal está evoluindo de forma positiva, várias terapias estão em estudo e uma nova classe que promete maior efetividade no combate à doença chegará em breve ao mercado brasileiro. A tendência do mercado farmacêutico é focar cada vez mais em terapias que promovam uma expressiva melhora na qualidade de vida dos pacientes.

* Dr. Fernando Tatsch, médico formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul é gerente médico da Roche, responsável pela divisão de Virologia & Nefro/Hospitalar.

Dados e fatos sobre a Anemia Renal e a Doença Renal Crônica

- A doença renal crônica é muito mais comum do que se imagina e não costuma apresentar sintomas nos estágios iniciais. A sociedade brasileira de nefrologia estima que 2 milhões de indivíduos apresentem algum grau de doença renal;

- Embora incomum nos estágios iniciais, a anemia relacionada à doença renal crônica aparece em virtualmente todos os pacientes com doença mais avançada; No Brasil, 70.000 pessoas tem doença renal em estágio avançado e, conseqüentemente, sofrem de anemia;

- A doença renal crônica contribui para o aparecimento ou a piora das doenças cardiovasculares. Nestes pacientes a anemia é um dos problemas mais sérios;

- Projeções apontam que o número de especialistas terá que dobrar até em 2010 para atender as necessidades da crescente população que já possui doença renal, anemia e todas as demais complicações.

Fonte: Mircera´s Report Guide (estudos realizados pela Roche) e Sociedade Brasileira de Nefrologia

Juliana Mezzato
Assessoria de Imprensa – Roche
Máquina Comunicação Corporativa Integrada
tel.: (55) 11 3147-7454
juliana.mezzato@maquina.inf.br
www.maquina.inf.br




Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Nenhum comentário.

Os comentários estão encerrados.